MENSAGENS




O Sinal do Filho do Homem no céu

Data: 28/02/2016 Tempo: 01:40:23





 

O SINAL DO FILHO DO HOMEM NO CÉU

 

William Soto Santiago

Domingo, 28 de fevereiro de 2016

Quito – Equador

 

 

Bom dia amados amigos e irmãos aqui presentes, e a todos os que estão em diferentes lugares e em diferentes países. Todos os Ministros e suas Congregações recebam uma saudação e Dr. Luiz Rodrigo Moreno e sua família recebam minhas saudações; que Deus o abençoe grandemente e lhe encha do conhecimento do Programa Divino correspondente a este tempo final, no Nome do Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

Hoje se completa cinquenta e três anos da aparição dessa Nuvem misteriosa que vocês viram no documentário transmitido desde Porto Rico no dia de hoje.

 

Se nos dias de Jesus os jornalistas e os fotógrafos estivessem lá no Monte da Transfiguração, do qual Ele tinha falado dias antes, quando disse que o Filho do Homem viria em Seu Reino, vamos ler em São Mateus no capítulo 16, versículos 27 e 28, e nos diz:

 

Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus Anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras.

28  Em verdade vos digo que alguns há, dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino”.

 

E no capítulo 17, nos versículos 1-5, diz:

 

“SEIS dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte,

2  E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz.

3  E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele.

4  E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés, e um para Elias.

5  E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo; escutai-o.

 

Vejam vocês que o que nós vimos no documentário sucedeu outras vezes com as visitas Angelicais, para anunciar eventos como o caso da visita do Anjo Gabriel ao Sacerdote Zacarias, para lhe anunciar o nascimento e a vinda do precursor João o Batista, o qual, conforme as condições de Zacarias e de sua esposa era impossível ter um filho, porque eles já estavam na idade em que não podiam ter filhos, porque ela já tinha passado da etapa de ter bebês.

 

E o mesmo se passou com a virgem Maria, que sendo virgem, o Anjo lhe disse que conceberia. Ela perguntou “E como será isto”? A profecia era de que um menino nasceria, uma virgem conceberia, daria à luz a um menino e o Seu nome seria “Emanuel”, que traduzido é: “Deus conosco”. Seria a visita de Deus em carne humana ao Seu povo Israel, a qual eles tinham desejado ver e, agora, O veriam como um ser humano falando com eles, “Emanuel”, o “Príncipe de Paz”. Israel quer a paz e o que precisa é do Príncipe da Paz.

 

E todos nós sabemos que foi assim a vinda do Anjo Gabriel e de que também foi assim a vinda ou a aparição de Moisés e de Elias lá no Monte da Transfiguração, cada um ao lado de Jesus Cristo. A evidência é Escritural, Cristo já havia dito que sucederia.

 

E para o tempo final nós agora temos as profecias que têm de ser cumpridas e de que os crentes serão transformados e levados com Cristo a Ceia das Bodas do Cordeiro, eles as verão, as entenderão, porque não é somente vê-las, mas entender o seu significado.

 

Por exemplo, se Pedro, Tiago e João vendo o que estava acontecendo ali no Monte da Transfiguração e, depois, os crentes em Cristo com os Apóstolos e Ministros de todos os tempos leem e veem isso na Escritura e não souberem o que significa, estarão perdendo uma grande bênção.

 

Primeiro crer e para se crer ouvir a Palavra, porque “a fé vem pela Palavra de Deus”, e “com o coração se crê para justiça, mas com a boca se confessa para salvação”. Tem de seguir os processos espirituais e bíblicos estabelecidos, para ver e entender terá de crer primeiro, pelo qual terá de ouvir aquilo em que crerá. A pessoa não pode estar inventando ideias próprias para dizer: “Eu creio desta maneira”. Isso não lhe serve, tem de crer da maneira que a Palavra de Deus estabeleceu.

 

E, agora, leiamos no capítulo 24, [São Mateus] versículos 29-31, e diz:

 

E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas.

30  Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.

31  E ele enviará os seus Anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus”.

 

Tomamos as Palavras de Jesus, que diz (no versículo 30):

 

Então aparecerá o sinal do Filho do Homem no céu”.

 

O SINAL DO FILHO DO HOMEM NO CÉU”.

 

Que Deus abençoe as nossas almas com a Sua Palavra, nos abra as Escrituras e nos abra o coração para cremos e a mente para compreendermos, no Nome do Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

No Programa Divino sempre que se vai realizar na Terra a Obra correspondente a esse tempo e que está estabelecida na Palavra de Deus nas profecias bíblicas, sempre há um sinal no céu que está relacionado com essa promessa ou com essas promessas que terão de ser cumpridas, portanto, Deus antes de cumpri-las na Terra Ele mostra no céu.

 

Como a Estrela de Belém que apareceu por dois anos e os magos a viam desde o território onde eles viviam no Leste de Israel, lá pela terra de Ur dos Caldeus, Irã e todo esse território.  Eles eram crentes na promessa da Vinda do Messias, estavam relacionados com as Escrituras, conheciam o Livro do Profeta Daniel e todas essas experiências espirituais que Daniel tivera vendo e escutando ao Anjo Gabriel que lhe disse: “Eu te mostrarei o que está escrito no Livro da Verdade”. [Daniel 10:21].

 

Ou seja, o que há de passar está escrito no Livro da verdade, tudo o que se passará no Programa Divino está escrito no Livro da Verdade e o Anjo Gabriel tem acesso a esse Livro e é o enviado para trazer boas notícias aos seres humanos.

 

Foi Ele quem deu a boa notícia ao Sacerdote Zacarias e deu a boa notícia à virgem Maria também. Portanto, o Anjo Gabriel é um Anjo Ministrador do Programa Divino que se realiza na Terra de etapa em etapa. Ele até intervém nas mudanças do reino dos gentios, como no mostra no Livro do Profeta Daniel.

 

Também está o Arcanjo Miguel, a quem Gabriel quando necessita de ajuda, Gabriel pede ajuda ao Arcanjo Miguel que tem um exército poderoso para lutar a favor do Programa Divino em que o Anjo Gabriel esteja trabalhando com o reino dos gentios. O Anjo Gabriel mostrou o começo, a trajetória e o fim do reino dos gentios.

 

E na atualidade estamos na etapa dos pés de ferro e de barro de lodo que é o tempo para a Segunda Vinda de Cristo, a Vinda da Pedra Angular ou da Pedra de Ângulo, a Pedra cortada do monte, a qual com a Sua Vinda ferirá nos pés de ferro e de barro de lodo a estátua que foi mostrada a Nabucodonosor, e também a Daniel para interpretação.

 

O Rev. William Branham disse que: “Gabriel anunciou a Primeira Vinda de Cristo e não somente a Primeira Vinda de Cristo, mas a vinda do precursor da Primeira Vinda de Cristo. E disse: “E anunciará a Segunda Vinda de Cristo”. Ou seja, o Anjo Gabriel com o seu Exército está no Programa Divino para a Segunda Vinda de Cristo e se necessita de ajuda avisa ao Arcanjo Miguel.  Numa ocasião Gabriel disse a Daniel: “Ninguém me ajudou senão Miguel o vosso Príncipe”.

 

E em tudo isto que vimos que sucedeu em 28 de fevereiro de 1963, os Anjos apareceram formando uma Nuvem que até foi publicada na revista CIÊNCIA e na revista “VIDA” ou LIFE. Uma prova científica que ajuda as pessoas, mas se não houvesse essa prova científica, essa aparição desses Anjos ao Rev. William Branham teria o mesmo valor, os quais o levantaram até onde eles estavam nessa Nuvem, e ali ele contou sete Anjos.

 

Recordem que quase nunca quem conta se inclui nessa conta. Sete Anjos que ele viu e se contamos com ele, são oito Anjos e, então, o sétimo Anjo que ele viu se converte no Anjo de número oito. Porque os outros Anjos eram os Anjos Mensageiros das diferentes etapas da Igreja, das sete etapas da Igreja, começando por São Paulo.

 

Recordem que “Anjo” significa: Mensageiro. O Anjo Mensageiro da Igreja na primeira etapa da Igreja entre os gentios foi São Paulo e assim em cada tempo esses Anjos Mensageiros vieram aparecendo para a Igreja, ungidos com o Espírito Santo, e sendo instrumentos do Espírito Santo, recebendo a revelação de Cristo para a Sua Igreja por meio do Espírito Santo e eles dando a conhecer ao povo e, assim, se formou cada Era, cada etapa da Igreja.

 

Temos entre esses Mensageiros grandes homens de Deus que apareceram nessa Nuvem. Os Anjos Mensageiros que estavam ali nessa Nuvem [o Dr. Soto mostra o quadro com a foto - Editor]. O primeiro foi São Paulo lá na Ásia Menor, o segundo foi Irineu lá na França, o terceiro foi Martin na França e na Hungria, Columba na Irlanda e na Escócia, Lutero na Alemanha, Wesley na Inglaterra e o Rev. William Branham na América do Norte. Desde a data do ano 53, que correspondeu á primeira etapa da Igreja entre os gentios, representada na Igreja de Éfeso na Ásia Menor.

 

Ou seja, essas Igrejas da Ásia Menor representam as diferentes etapas pelas quais a Igreja passaria entre os gentios e os Pastores dessas Igrejas representam aos Mensageiros que a Igreja teria durante as sete etapas da Igreja.

 

E, porquanto, nos tempos do Antigo Testamento a Igreja de Deus era Israel, a Igreja do Pacto Antigo foi Israel, por isso, os Mensageiros eram enviados a Israel e de Israel os Mensageiros para essa Dispensação da Lei. E os dois últimos foram João o Batista precursando a Primeira Vinda de Cristo como o sétimo Mensageiro da Igreja hebraica sob a Lei e, depois, o oitavo Mensageiro foi o Senhor Jesus Cristo na etapa de Pedra Angular.

 

Para que haja uma etapa de Pedra Angular tem de vir o “Mensageiro-Pedra-Angular” para essa etapa. E recordando que a Igreja do Senhor Jesus Cristo é um Templo Espiritual tem Átrio, tem Lugar Santo e tem Lugar Santíssimo.

 

O Lugar Santíssimo do Templo Espiritual de Cristo terá o que tinha o Lugar Santíssimo do Tabernáculo que Moisés construiu e do Templo que o rei Salomão construiu. Tinha a Arca do Pacto e tudo o que continha na Arca do Pacto e o que tinha no Templo que Salomão construiu e no Tabernáculo que Moisés construiu; tinha a Vara de Aarão que reverdeceu, tinha a tampa sobre a Arca do Pacto que era o Propiciatório de Ouro Puro com Dois Querubins, um de cada lado. E depois no Templo que Salomão construiu ele acrescentou mais Dois Querubins de Madeira de Oliveira gigantes cobertos de ouro.

 

Aí temos as Duas Oliveiras no Templo, as Duas Oliveiras no Templo que Salomão construiu e as Duas Oliveiras no Templo Espiritual de Cristo são os Anjos que são enviados com a Grande Voz de Trombeta, com o ministério das Duas Oliveiras, o ministério de Moisés e de Elias, que são as Duas Oliveiras no Apocalipse, capítulo 11, versículos 1-14.

 

Ou seja, Ele vem na e à Igreja do Senhor Jesus Cristo com os Seus Anjos no tempo final e trará com Ele aos Mensageiros das diferentes etapas da Igreja e a todos os crentes em Cristo que partiram, os ressuscitará em corpos glorificados, corpos jovens, corpos imortais, semelhantes ao corpo glorificado que Cristo o nosso Salvador tem, o qual está tão jovem como quando Ele subiu ao Céu.

 

Encontramos que Maria Madalena viu-O ressuscitado, não O reconheceu até que Ele lhe falou e quando lhe falou ela conheceu a Sua Voz, a Sua Palavra. Assim será que nós reconheceremos a Cristo vindo com os Seus Anjos no Último Dia: por Sua Voz, Sua Palavra:

 

Minhas ovelhas ouvem a minha Voz, e me seguem”. [São João 10:27].

 

Por que não O reconheceram, quando O viram já ressuscitado? Porque quando a pessoa ressuscita glorificada o seu corpo aparenta dos dezoito aos vinte e um anos de idade. É um corpo para viver por toda a eternidade.

 

Quando os Discípulos O viram, alguns pensavam que era um espírito e estiveram com Ele sob o Seu ministério por três anos e meio. E se alguém estava chamado a reconhecer Cristo ao vê-Lo eram os Seus Discípulos, Maria Madalena e Maria a mãe de Jesus.

 

Para este tempo final nós teremos que ser conhecedores das promessas da Segunda Vinda de Cristo, para que não nos suceda como sucedeu ao povo hebreu, que quando a Primeira Vinda de Cristo se cumpriu não O conheceram. E ainda Lhe disseram: “Que sinal nos dá”? Depois de verem e saberem de tantos sinais que tinha feito, mesmo assim pediram sinais para depois dizerem: “Não cremos”.

 

Por isso é importante estarmos baseados na Escritura, para que assim saibamos o que é que está prometido, o que é que Cristo tem de fazer em Sua Vinda, como foi no tempo passado.

 

Ele disse: “Eu não faço nada de mim mesmo, como eu vejo o Pai fazer, assim eu faço”. [São João 8:28]. Ou seja, que primeiro Ele via em visão na esfera celestial o que Deus faria o que Deus faria por meio de Cristo e, então, aqui na Terra Ele fazia o que via em visão.

 

Como o Pai me mostra, assim eu faço”.

 

Ou seja, que Ele não estava obrigado nem chamado a curar a todos os doentes. O que Deus lhe mostrava em visão, isso era o que Ele fazia. Por exemplo, temos o caso de Lázaro o irmão de Marta e de Maria que estava doente e era amigo íntimo de Jesus e quando uma pessoa fica doente e chama a um amigo íntimo ou ao seu Pastor, para que venha e ore por ela e ele não vem a pessoa já começa a sentir-se mal e se a pessoa doente morrer, os seus familiares se sentirão mal também.

 

Mas Cristo fez o que viu ao Pai fazer, elas mandaram chamá-Lo e Ele não foi. Mas quando chegou ao quarto dia, disse: “Vamos para  lá. E me alegro de não ter estado lá”, Cristo disse isso quando Lázaro adoeceu, e Se alegrou de que não estivesse lá. Por quê? Porque O teriam buscado e o teria curado, mas ao não estar lá, Lázaro seria o tipo e figura dos crentes que morreriam em Cristo e que seriam ressuscitados na quarta etapa da Igreja, na quarta etapa de restauração da Igreja.

 

A primeira etapa começou com Lutero, a segunda com Wesley e a terceira no tempo do Rev. William Branham e, agora, a quarta é a Era de Pedra Angular e foi nessa quarta etapa onde Lázaro foi ressuscitado. E essa quarta etapa corresponde à Era de Ouro da Igreja, a Era de Pedra Angular que é a Era Messiânica, para a Segunda Vinda de Cristo, como aquela Era em que Jesus esteve no Seu ministério e foi a Era de Ouro, a Era de Pedra Angular, porque ali estava a Pedra Angular: Cristo o nosso Salvador.

 

E, agora, nos correspondeu viver na etapa mais importante da Igreja do Senhor Jesus Cristo, na etapa que corresponde ao Lugar Santíssimo do Templo Espiritual de Cristo e esse Templo é a Sua Igreja.

 

Por isso, assim como Moisés trabalhou com sua gente quando construiu o Tabernáculo, faltava algo, Moisés e o povo colocaram tudo, eles colocaram tudo exceto uma coisa, uma coisa que eles não podiam colocar no Templo e ninguém podia colocá-la no Templo, e o que faltava era a Presença de Deus, para vir e morar no Lugar Santíssimo do Tabernáculo que Moisés construiu, sobre o Propiciatório no meio dos Dois Querubins de Ouro.

 

Ou seja, corresponde ao povo fazer a parte física e era um Tabernáculo para Deus morar nele e a Deus corresponde fazer a mais importante.

 

Assim também foi quando Salomão teve tudo arrumado, mas lhe faltou o mais importante, o qual somente Deus podia trazer e era a Presença de Deus para morar no Templo, no Lugar Santíssimo sobre o Propiciatório no meio dos Dois Querubins de Ouro no meio do povo hebreu.

 

E sendo que a Igreja é o Templo humano de Deus como Cristo também foi o Templo humano onde Deus morou em toda a Sua plenitude, a Sua Igreja é o Seu Corpo Místico de crentes, onde a Presença do Senhor esteve desde o dia de Pentecostes, mas virá em toda a Sua plenitude no Último Dia para nossa transformação e ressurreição dos mortos em Cristo.

 

A Igreja como Templo Espiritual esteve passando de uma etapa a outra etapa na construção desse Templo Espiritual com Pedras Vivas, como nos diz na Primeira de Pedro, capítulo 2, versículos 4-6. Disse que somos Pedras Vivas, para sermos do Templo do Senhor e aí se cumpre também o que Cristo disse: “Deus pode levantar filhos de Abraão destas Pedras”. [São Mateus 3:9].

 

Agora, nós estamos vendo que as sete etapas da Igreja entre os gentios corresponde ao Lugar Santo do Templo Espiritual, ao Templo Espiritual de Cristo e a Era de Pedra Angular corresponde ao Lugar Santíssimo da Igreja do Senhor Jesus Cristo. É a Era de Ouro para a Igreja do Senhor Jesus Cristo, é a Era Messiânica para a Igreja do Senhor Jesus Cristo, e esse é o tempo, a Era ou a etapa para a Segunda Vinda de Cristo, a Vinda da Pedra Angular que é Cristo o nosso Salvador.

 

É importante sabermos onde nos encontramos no Programa Divino, porque quem não souber onde se encontra no Programa Divino, por mais que trabalhe se não souber em que etapa vive, possivelmente estará trabalhando para uma etapa passada. Alguns poderão estar construindo uma Arca de madeira, porque Deus disse a Noé que construísse uma Arca. Era um projeto divino, mas para o tempo de Noé. Depois se converteu em tipo e figura para as outras etapas do Programa Divino.

 

É importante estarmos conscientes do tempo que nos correspondeu viver no Programa Divino, e sabermos o que nós somos nessa etapa da Igreja do Senhor Jesus Cristo, porque quem não souber para o que está aí, não faz o que deve fazer no tempo em que lhe correspondeu viver.

 

Já vimos “O SINAL DO FILHO DO HOMEM NO CÉU”. E esse Sinal é para os crentes. Os incrédulos podem vê-lo e dirão: “Vejo uma nuvem”. Como alguns incrédulos podiam ver o Monte Sinai envolto numa nuvem e dizer: “Outras vezes já vimos que também se enche de neblina”. Mas Moisés com o povo sabia que era a Presença de Deus com os Anjos de Deus ali. Ali estava o Anjo do Pacto que é Cristo o Anjo de Deus.

 

Por isso, depois no último jantar, Ele disse: “Comei, isto é meu corpo” e tomando o cálice de vinho, dando graças, disse: “Tomai dele todos, porque este é o meu Sangue, o Sangue do Novo Pacto que é derramado por muitos para remissão dos pecados”.

 

E frente a este sinal do Filho do Homem no céu, muitas pessoas que escutem sobre esse tema dirão: “Como nós podemos saber que é Verdade”?

 

Como você sabe que Moisés esteve no Monte Sinai, Deus esteve com ele e que Ele escreveu os dez Mandamentos em pranchas de pedra? Como você sabe que Jesus estava no Monte da Transfiguração e Moisés e Elias apareceram com Ele? Como você sabe? Lendo, recebendo a informação e a fé nasce, porque é uma questão de fé.

 

Você ouve, escuta sobre o tema, a fé nasce e você crê. Não necessita de fotografias nem nada, senão de ouvir a Palavra que fala sobre esse tema, ver que é uma promessa divina, e saber que algum dia tinha de se cumprir e que a pessoa é uma bem-aventurada em viver no tempo do cumprimento desse Sinal.

 

Tudo o que Deus fará neste tempo final será em torno do Programa Divino correspondente à Era de Ouro da Igreja, a Era do Lugar Santíssimo, como tudo o que Deus fez em Eras passadas foi de acordo ao que estava prometido para cada etapa da Igreja.

 

Nem todo mundo crerá, mas quem é de Deus ouve a Voz de Deus, a fé de Cristo nasce em sua alma e crê de todo coração. Poderão lhe perguntar: “E você entende tudo isso?” E o crente dirá: “Não, mas eu creio, depois irei entendendo gradualmente na medida em que sigo lendo e escutando sobre o tema”.

 

Assim também é como crente em Cristo: você entende tudo o que aconteceu na vida de Jesus, que O crucificaram, O acusaram de malfeitor, de falso Profeta e assim por diante. Você escutou também que Ele morreu por nós na Cruz do Calvário, e que assim era o Programa de Deus, senão, nós não estaríamos aqui, se Ele não morresse na Cruz do Calvário, ou seja, houve um Programa Divino para ser realizado na Primeira Vinda de Cristo.

 

E na Segunda há um Programa Divino também, e está na Escritura para ser cumprido pelo Senhor em Sua Vinda, para a adoção dos filhos e filhas de Deus, conforme a Romanos, capítulo 8, versículos 14-39, e a adoção será a redenção do corpo, onde nós seremos transformados e teremos o corpo glorificado, um corpo já redimido e, então, um corpo que viverá para toda a eternidade, sem problemas de saúde, sem problemas de idade, sem nenhum tipo de problema. Ou seja, há um Plano Divino para a Vinda do Filho do Homem no Céu e para se materializar todo esse Programa Divino aqui na Terra.

 

O Título de Propriedade da vida eterna, o Título de Propriedade de toda a Criação virá neste tempo final. Esse Título de Propriedade que Adão teve, porquanto, lhe foi dada a autoridade sobre toda a Terra, era o Rei da Terra e Deus o Rei de toda a Criação.

 

Adão perdeu o Título de Propriedade, o direito de viver eternamente fisicamente. Na Primeira aos Coríntios, capítulo 15 São Paulo disse: “A morte entrou por um homem, Adão”, mas a vida eterna entrou por Jesus Cristo o segundo Adão, para nos restaurar a vida eterna, para nos restaurar á vida eterna espiritual e á física também. Primeiro a espiritual e, depois, a física no Reino de Deus. Aqui vem a vida física no reino terreno e, depois, é que virá a espiritual com o novo nascimento.

 

O Livro da Vida do Cordeiro, o Livro de toda a Criação, o Livro da Vida Eterna é o Livro selado com sete Selos que aparece na mão direita de Deus no capítulo 5 do Apocalipse, quando foi pedido que alguém se apresentasse para tomar o Livro e abrir esses Selos.

 

Não apareceu pessoa alguma até que Cristo o Cordeiro de Deus apareceu, mas quando Ele apareceu o Ancião disse a João: “Não chores. Eis aqui o Leão da tribo de Judá, o qual prevaleceu para tomar o Livro e abrir seus Selos”. E quando João olhou viu um Cordeiro.

 

João viu Jesus como Cordeiro de Deus, o Ancião O viu como Leão da tribo de Judá, porque vem como Rei, terminou a Sua Obra de Intercessão de Cordeiro e de Sumo Sacerdote e, agora, vem como Rei e Juiz, para tomar o Título de Propriedade, abrir os Selos e fazer a Sua Obra de Reclamação, para reclamar tudo o que Ele redimiu com o Seu Sangue precioso; entre as coisas estão não somente o planeta Terra, não somente algumas pessoas, mas todos os redimidos com o Sangue de Cristo o nosso Salvador, os reclamará para a vida eterna física também, para irem com Ele a Ceia das Bodas do Cordeiro no Céu.

 

Durante três anos e meio (da qual consta a segunda parte da semana de número setenta de Daniel, capítulo 9) será a estadia no Céu, na Ceia das Bodas do Cordeiro, enquanto a humanidade estará passando pelos juízos divinos da grande tribulação neste planeta Terra, da qual a Escritura fala. Porque o único que poderá evitar que uma pessoa passe pela grande tribulação é que ela esteja limpa pelo Sangue de Cristo o nosso Salvador, porque se ela não tiver pecado, pois não terá de passar pelos juízos divinos da grande tribulação.

 

Esse tempo de três anos e meio para a Igreja do Senhor Jesus Cristo, para os redimidos, os nascidos de novo será no Céu. Qualquer pessoa pensa: “Bom, depois que a pessoa estiver no Céu não vai querer voltar para a Terra”. Mas voltaremos com Cristo como reis, sacerdotes e juízes no Reino do Messias por mil anos, para o estabelecimento do Reino Milenar, o Reino de Davi e o Trono de Davi restaurado. Ou seja, o Gabinete de Cristo no Seu Reino será os crentes em Cristo de outras Eras e os da nossa Era também.

 

Por isso é que Tiago e João que tinham visto a Jesus glorificado no Monte da Transfiguração com Moisés e Elias, um de cada lado, lhes mostrando o que seria a Vinda do Reino de Deus na Terra; Tiago e João que também numa ocasião lá em Samaria, quando não quiseram recebê-los, eles disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu como Elias fez?” Ou seja, para queimá-los. Jesus lhes disse: “Vós não sabeis de que espírito vós sois”. Mas eles estavam pendentes aos ministérios de Moisés e Elias.

 

Por isso, depois do Monte da Transfiguração eles falaram com sua mãe, lhe contaram tudo, e ela veio com seus filhos, eles lhe pedem também o favor de lhes ajudar. Essas são as duas posições mais importantes no Reino do Messias e no capítulo 20 de São Mateus, do versículo 20 em diante, Ela foi com seus filhos até Jesus, e lhe disse: “Senhor, Rabi”. Ele lhe disse: “Mulher, o que queres?” Porque sempre que se vai ao Senhor, algo se quer. Se você vai ao Senhor em oração é porque quer algo, quer receber ou quer ofertar louvores de agradecimento a Cristo, ou tem algum pedido.

 

E ali vinha Tiago, João com a sua mãe bem preparados, e Jesus lhe perguntou: “O que queres mulher?” Lhe disse: “Eu quero que no Teu Reino”... Ou seja, aí ela declarou também que era uma crente no Reino do Messias que será estabelecido na Terra. Muitos diziam “Tu és o Rei de Israel”.

 

Ela O reconheceu como Rei: “Tu és o Rei. Eu quero que no Teu Reino os meus dois filhos estejam um a Tua direita e outro a Tua esquerda”. Diríamos: quase nada. E Jesus lhes perguntou se eles poderiam tomar da taça que ele tomaria, se eles tomariam? Eles Lhe disseram: “Sim, podemos”. Porque quem está buscando uma bênção nunca pode estar dizendo “não”, tem de crer que sim que pode, porque se não, para que estaria buscando algo se pensa que não pode. Alguém busca o que pensa que pode obter para o qual está crendo.

 

“Sim podemos”! “Podem tal coisa e tal coisa?” “Sim podemos!” “Tomar da taça que eu hei de beber?” “Tomarão, poderão tomar, e isto outro também poderão fazer, porém, assentá-los á minha direita e á minha esquerda, isso não lhes é dado, senão para quem está preparado”. Ou seja: “Essa posição não é para vocês”.

 

Bom, e que posição eles têm então? Cristo lhes havia dito também, nos capítulos 18 e 19 de São Mateus e em São Lucas no  capítulo 22: “Vós que me seguistes vos sentareis em doze tronos no meu Reino”. Tiago e João queriam mais, portanto, eles já tinham a posição prometida por Cristo que lhes correspondia.

 

O que se passa é que quando uma pessoa recebe bênção ela quer mais. Eles queriam o máximo que se podia obter. Não pensavam como Judas Iscariotes, que por ser incrédulo ou um crente manufaturado, ele tinha a promessa de um trono ali e não o quis mais, ou melhor, ele manifestou a sua incredulidade e perdeu a bênção que, depois, outro foi colocado como Apóstolo, o qual ocupará esse trono no Reino de Cristo o nosso Salvador. No Apocalipse, capítulo 20, eles aparecem assentados em tronos, aqueles aos quais lhes foi dado o poder de julgar.

 

E assentar-se à direita e à esquerda de Cristo é uma verdade profética. E nos perguntamos: como podemos obter essa bênção?  Cristo o nosso Salvador disse: “Não é de quem quer nem de quem corre, mas para quem está ordenado Por Deus”, pelo Pai.

 

No Apocalipse capítulo 3, nos versículos 20 e 21, diz:

 

Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.”

 

Tudo isto ocorre na Igreja do Senhor Jesus Cristo, porque a sétima Era representada na igreja de Laodiceia tinha fechado a porta para Cristo na Sua manifestação através do Rev. William Branham o Mensageiro da sétima Era da Igreja. Quando se fecha a porta de uma Era para um Mensageiro, fecharam a porta para Cristo nessa Era e, por conseguinte, fecharam-Lhe a porta em Sua Igreja, como a fecharam na Sua Primeira Vinda.

 

E nos versículos 21 e 22, diz:

 

Ao que vencer”... (ou seja, alguém vencerá).

22 Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono (isso era o que João e Tiago queriam), assim como eu venci, e me assentei com meu Pai em seu trono.

 

Na mesma forma que Cristo havia dito que se sentaria à direita de Deus, quando Ele estava sendo julgado lá em São Mateus, capítulo 26, versículo 64, Ele disse que veriam o Filho do Homem sentado à direita de Deus no Reino de Deus e aqui diz que já está sentado. E São Paulo em suas Cartas diz que Cristo está sentado à direita da Majestade nas alturas e quando Estevão foi apedrejado, antes de morrer, disse: “Vejo o Céu aberto e a Jesus Cristo sentado à direita de Deus”. [Atos 7:56].

 

Ou seja, há outra dimensão onde é a real. Esta dimensão é temporária, mas a real e eterna é a dimensão de Deus, a dimensão dos Anjos. Por isso, desde a dimensão eterna é que Deus trabalha no Seu Programa nesta dimensão terrena, pelo qual envia Anjos de tempo em tempo, Anjos ministradores para realizar trabalhos em Seu povo.

 

Nós vimos que aqui está a promessa para o Vencedor. De Era em Era os Mensageiros lutaram com o grupo que lhes correspondeu ministrar, mas a grande Vitória do Amor Divino se realizará neste tempo final. A grande Vitória do Amor Divino corresponde a Era de Pedra Angular, a Era do Lugar Santíssimo do Templo Espiritual de Cristo. Enquanto isso se está construindo o Templo Espiritual com as Pedras Vivas, com seres humanos que são acrescentados na Igreja do Senhor Jesus Cristo, como cada um de nós que fomos chamados e colocados no Templo Espiritual de Cristo o nosso Salvador. E não somente no Templo, mas na etapa da construção dessa parte do Templo, porque se estiver colocado numa parte dessa construção que já passou não funcionará bem.

 

De Era em Era já foram chamados e ajuntados os correspondentes a cada Era do Corpo Místico do Senhor Jesus Cristo. Agora, a promessa é o que Cristo disse que não é Dele dá-lo para quem Ele queira, senão para aquele ou aqueles para quem está preparado. E aqui diz:

 

Ao que vencer, concederei que se assente comigo em meu trono, assim como eu venci, e me sentei com meu Pai em seu trono”.

 

Para o governo de toda a Criação Cristo foi assentado no Trono Celestial do Pai e no Trono e Reino terreno, no Reino de Davi e no Trono de Davi do qual Cristo é o herdeiro, o Anjo Gabriel disse: “Nesse Trono”, disse:

 

Deus lhe dará o Trono de Davi Seu pai, e reinará sobre a Casa de Israel para sempre”.

 

E aqui prometeu que assentará o Vencedor com Ele no Seu Reino no Seu Trono. O vencedor aparecerá numa Era paralela à Era Messiânica da Primeira Vinda de Cristo, na Era de Pedra Angular lá. É na Era de Pedra Angular neste tempo final, depois que já transcorreram as sete etapas ou Eras da Igreja gentílica que aparecerá, e onde? Na Era de Ouro, na Era de Pedra Angular e aí serão chamados e ajuntados todos os escolhidos de Deus e haverá uma grande manifestação da plenitude de Deus na Sua Igreja, para receber a fé para ser transformada e levada com Cristo a Ceia das Bodas do Cordeiro.

 

E Cristo em Espírito Santo, o qual esteve na Sua Igreja terá ao Vencedor do Último Dia na Era de Pedra Angular e, por conseguinte, vocês vejam que Pedro, Tiago e João estiveram no Monte da Transfiguração e viram a Jesus transfigurado com Moisés e Elias um a cada lado Dele. Isso é o que Tiago e João queriam: essa posição. Ali nessa visão eles estavam vendo a Ordem da Vinda do Reino de Deus a Terra.

 

No Apocalipse, capítulo 10, do versículo 1 em diante, o Anjo Forte que desce do Céu que é Cristo com o Livrinho aberto em Sua mão (o qual tomou e abriu no Céu nos capítulos 5 e 6, e em outras passagens), agora vem com o Título de Propriedade aberto para trazê-lo a Sua Igreja e, por conseguinte, ao Mensageiro que estiver nessa etapa com a Sua Igreja, chamando e ajuntando aos escolhidos dessa Era.

 

Se o Anjo Forte do Apocalipse 10 viesse no tempo de São Paulo, São Paulo teria de ser o Mensageiro para esse tempo, e esse tempo teria de ser o tempo da Era de Pedra Angular.

 

Para assentar-se no Trono Celestial teria de ser o Mensageiro de Era de Pedra Angular que foi Jesus, para assentar-se no Trono Celestial. Para assentar-se no Trono terreno tem de ser o Mensageiro do Último Dia que Deus colocará e, por conseguinte, terá a bênção que Tiago e João queriam: ser a mão direita, assim como Cristo é a mão direita de Deus, e tudo o que Deus faz o faz por intermédio de Cristo. Assim como José no Egito era a mão direita do Faraó, ele era o Administrador e, por isso, o Egito foi salvo da fome que houve nos últimos sete anos.

 

E Cristo colocará a Sua mão direita no Seu Reino terreno, diz: “Para os quais está preparado”, isso está preparado no Programa de Deus. Uma pessoa receberá essa bênção: o Mensageiro do Último Dia que estará chamando e ajuntando com a Grande Voz de Trombeta, com a Mensagem Final de Deus, aos escolhidos do Último Dia dentre os gentios, dos que faltam para completar a Igreja na Era de Pedra Angular.

 

E, depois, porquanto a bênção de Moisés e Elias, o ministério de Moisés e Elias tem haver com o povo hebreu também, então, também lhe corresponderá essa bênção de tocar a Trombeta, a Mensagem Final para o povo hebreu e serão chamados cento e quarenta e quatro mil hebreus, doze mil de cada tribo. Tão simples assim.

 

Nenhuma outra pessoa poderá fazer esse trabalho, porque não será um trabalho humano, mas será Deus atuando por meio do que vencer e pelo qual e ao qual Ele colocará à Sua direita no Seu Reino, e lhe concederá que se assente com Ele no Seu Trono. Diz: “Assim como eu venci e me sentei com meu Pai em Seu Trono”. Ou seja, a bênção de Moisés a um lado e Elias do outro lado, corresponde ao que Cristo assentará com Ele no Seu Trono.

 

Digamos assim: Cristo foi assentado no Trono de Deus à direita de Deus no Céu e Ele é o Administrador de toda a Criação. Não há outro Administrador, é Ele, mas no Reino terreno Ele colocará uma pessoa na parte Administrativa.

 

Cristo falou isso na parábola dos talentos e das minas e do servo prudente: “Quem é o servo prudente ao qual seu Senhor porá (sobre o quê?) sobre todos os Seus bens”, sobre todos os Seus bens aqui na Terra Cristo terá um Administrador como Ele prometeu. Parece que Tiago e João também se lembravam dessa promessa.

 

Será um Reino de bênção onde Cristo é o Rei, mas assentará uma pessoa com Ele no Seu Trono, a qual receberá a bênção da direita e da esquerda do Monte da Transfiguração: vamos dizer a bênção da direita de Moisés e a bênção da esquerda de Elias.

 

Está prometido que Elias virá pela quinta vez para os judeus, e que virá Moisés, isso será um Profeta como Moisés, isso é também o que os Rabinos dizem que não será Moisés nem Elias literalmente, mas um homem como foi Elias e um homem como foi Moisés: um Profeta. Um Profeta onde se operará esses ministérios pelo Espírito Santo no Último Dia.

 

Vimos que o sinal do Filho do Homem no céu está ligado a todo este Programa Divino do qual estivemos falando. É importante conhecermos qual é o Programa Divino correspondente ao nosso tempo, para assim recebermos as bênçãos de Deus que há para o nosso tempo.

 

A Trombeta Final ou a Grande Voz de Trombeta é a Voz de Cristo nos dando a Sua Mensagem Final por meio Daquele que se assentará com Cristo no Seu Trono.

 

Ao dizer que colocará um rei sobre o Seu Trono soa estranho para algumas pessoas, mas recordem que a Escritura diz que Cristo nos fez reis e sacerdotes para o nosso Deus e também diz que os Santos julgarão o mundo. Apocalipse capítulos 1, 5 e 20 e na Primeira aos Coríntios no capítulo 6, ai nos fala que os Santos julgarão o mundo.

 

Recordem que para julgar aos judeus, Cristo disse: “Vós os doze vos assentareis em doze tronos, e julgareis às doze tribos de Israel”. [São Mateus 19:28]. Esse é o Gabinete para Israel e para a Igreja, aos gentios ou para o Reino a nível mundial, aí teremos aos Santos, os crentes em Cristo que formam a Igreja de Jesus Cristo como os membros do poder Judiciário, e Cristo o Juiz Supremo. E se há um Juiz Supremo há outros juízes de outra categoria.

 

Cristo também é o Sumo Sacerdote segundo a Ordem de Melquisedeque, portanto, há mais sacerdotes. Nós somos reis e sacerdotes para Deus. A Ordem Sacerdotal do Reino Milenar será realizada por Cristo e Sua Igreja.

 

Se houver Sacerdotes afora eles, isso nós veremos quando estivermos no Milênio. Poderão ser ajudantes ou o que seja. Depois a parte de Reis. A parte política também será dirigida, governada por Cristo e Sua Igreja, esse é o Gabinete Político de Cristo. E o Gabinete Judiciário também são os próprios crentes e o Gabinete Religioso, a Ordem sacerdotal são os mesmos crentes.

 

Parece muito trabalho, mas no corpo glorificado se poderá viajar com o pensamento, na velocidade do pensamento que será tão rápida que você demorará o mesmo tempo em pensar em sair daí de onde você está e chegar até aqui onde eu estou, e o mesmo tempo de ir de onde você está até Júpiter.  Levará o mesmo tempo em pensar.

 

Portanto, não teremos problemas no Reino do Messias, temos os problemas estando no reino terreno que é o reino que o maligno governa, porém quando estivermos no Reino do Messias aqui na Terra, será o Reino de Deus vindo e sendo estabelecido como está prometido.

 

O SINAL DO FILHO DO HOMEM NO CÉU”. Esse é o tema do nosso estudo bíblico desta ocasião.

 

Já vimos esse sinal, vimos a história da Igreja desde os tempos dos Apóstolos e vimos a Igreja do Senhor Jesus Cristo refletida no povo hebreu que é a sombra, o tipo e figura da Igreja do Novo Pacto.

 

Israel é a Igreja do Pacto Antigo e restam três anos e meio para Deus tratar com eles na segunda parte da semana de número setenta da profecia de Daniel, capítulo 9.

 

Esse tempo não chegou ainda, porque houve uma brecha na metade da semana setenta e aí é que está a Era da Graça ou a Dispensação da Graça, onde a Igreja do Senhor Jesus Cristo nasceu, vive e chega à Pedra de Coroa neste tempo final.

 

Deus continua chamando aos que faltam para completar a Sua Igreja, porque Ele não pode sair do Trono de Intercessão até que complete a Sua Igreja, até que tenha feito intercessão até pelo último que formará parte da Sua Igreja.

 

Se houver alguma pessoa que ainda não recebeu Cristo como Salvador, pode chegar até aqui na frente e estaremos orando por você, para que Cristo lhe receba, lhe perdoe, lhe limpe de todo pecado com Seu Sangue, lhe batize com o Espírito Santo e Fogo, produza o novo nascimento em você e, assim, nasça no Reino de Cristo o nosso Salvador.

 

Nas demais nações e lugares também podem chegar aos Pés de Cristo, para que fiquem incluídos na oração que estaremos fazendo por todos os que estão chegando aos Pés de Cristo nesta ocasião.

 

As crianças de dez anos em diante também podem vir aos Pés de Cristo o nosso Salvador. Cristo disse: “Deixai os meninos virem a mim, e não os impeçais, porque dos tais é o reino dos céus”. [São Mateus 19:14]. E os bebês são apresentados ao Senhor trazendo-os aqui na frente e orando por eles.

 

Quando entre no Corpo Místico de Cristo até o último escrito no Livro da Vida do Cordeiro no céu, Cristo terá terminado a Sua Obra de Intercessão no Céu, sairá para fazer a Sua reclamação, reclamar, tomar o Livro da Vida Eterna onde estão escritos os nossos nomes desde antes da fundação do mundo.

 

Deus tem muitas pessoas aqui em Quito, em toda a República do Equador, em todas as nações Latino-Americanas, na América do Norte, na África, na Índia, no Canadá, no Alaska, em todos os países e está chamando-as neste tempo final, para colocá-las na Sua Igreja, no Seu Corpo Místico de crentes.

 

“Se você ouvir a Sua Voz hoje, não endureça o seu coração”. Ele está chamando-o, porque o seu nome está escrito no Livro, no Título de Propriedade, no Livro da Vida Eterna.

 

Quando alguém escuta a pregação do Evangelho de Cristo e a fé de Cristo nasce na sua alma é porque o seu nome está escrito no Livro da Vida no Céu.

 

Minhas ovelhas ouvem a minha Voz, e me seguem, e eu as conheço, e eu lhes dou vida eterna”.

 

Para que Cristo chama a Suas ovelhas? Para lhes dar vida eterna. Ele é o único que pode nos outorgar a vida eterna. Não podemos passar por esta Terra sem nos assegurarmos de que viveremos eternamente no Reino de Cristo o nosso Salvador.

 

A vida nesta Terra é a única oportunidade que nós temos para vivermos eternamente, é o único tempo onde nos dá uma oportunidade, a oportunidade de vivermos eternamente, escutando o Evangelho de Cristo, crendo em Cristo, recebendo-O como o nosso único e suficiente Salvador.

 

Quando a pessoa morre acabaram-se as oportunidades, portanto temos de aproveitar a nossa estadia na Terra, para assegurarmos o mais importante que é a vida eterna.

 

Cristo disse em São Marcos, capítulo 16, versículos 15 e 16:

 

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.

16  Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”.

 

Frente á pregação do Evangelho de Cristo há somente uma de duas coisas que a pessoa pode fazer: crer ou não crer. Crer e receber a vida eterna, ou não crer para ser condenada e deixar de existir por toda a eternidade. A única oportunidade que a pessoa tem para viver eternamente é receber Cristo como único e suficiente Salvador.

 

Vamos ficar em pé para orarmos pelas pessoas que vieram aos Pés de Cristo aqui e em outras nações, para que Cristo as receba no Seu Reino.

 

Com nossos rostos inclinados e nossos olhos fechados:

 

Pai celestial eu venho a Ti no Nome do Senhor Jesus Cristo com todas estas pessoas que vieram aos Pés de Cristo nesta ocasião. Eu Te rogo que as recebas em Teu Reino, no Nome do Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

E, agora, repitam comigo esta oração que estaremos fazendo, para que Cristo lhes receba no Seu Reino:

 

Senhor Jesus Cristo, eu escutei a pregação do Teu Evangelho e a Tua fé nasceu em mim. Creio em Ti com toda a minha alma. Creio na Tua Primeira Vinda, creio no Teu Nome como o único nome dado aos homens, em que podemos ser salvos e creio nesse Nome dado aos homens, debaixo do Céu, em que podemos ser salvos e podemos obter a salvação e a vida eterna.

 

Reconheço que sou pecador e necessito um Salvador. Creio em Tua morte na Cruz do Calvário como o Sacrifício de Expiação pelos nossos pecados, dou testemunho público de minha fé em Ti e de Tua fé em mim, e Te recebo como meu único e suficiente Salvador.

 

Rogo que Tu me perdoes, que me limpes de todo pecado com Teu Sangue, que me batizes com o Espírito Santo e Fogo logo após eu ser batizado na água no Teu Nome. Eu Te rogo no Teu Nome Eterno e glorioso: Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

 

Agora a pergunta desde o profundo do coração de vocês é: “Quando podem me batizar”? Assim como no Dia de Pentecostes as três mil pessoas que escutaram, creram e queriam saber o que fazer, perguntaram a Pedro e aos Apóstolos: “O que faremos para ser salvos?” “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo”. [Atos 2:38]. E nesse dia foram batizadas quase três mil crentes, quase três mil almas entraram no Reino de Deus.

 

E, agora “quando podem me batizar?” é a pergunta de cada um de vocês presentes aqui e dos que estão em outras nações que vieram aos Pés de Cristo nesta ocasião.

 

Todos vocês podem ser batizados, que Cristo lhes batize com o Espírito Santo e Fogo, que produza o novo nascimento em vocês, recordando que o batismo na água é tipológico. Quando a pessoa recebe Cristo como Salvador, ela morre para o mundo; quando o Ministro a submerge na nas águas batismais está sendo sepultada espiritualmente e quando a levanta das águas batismais, está ressuscitando para vida eterna.

 

Tudo isso é simbolicamente, porque a água não tira os pecados, mas o Sangue de Cristo é o que nos limpa de todo pecado e o batismo na água é um mandamento do Senhor Jesus Cristo.

 

E quando João o Batista estava batizando as pessoas que ouviam e criam veio Jesus Cristo para que João Batista o batizasse, depois o Espírito de Deus desceu sobre Jesus em forma de pomba, quando subiu das águas.

 

Assim vocês podem ser batizados, que Cristo lhes batize com o Espírito Santo e Fogo e produza o novo nascimento em vocês.

 

Encontramos que sempre na Igreja do Senhor Jesus Cristo a pregação e seguida do batismo na água para todas as pessoas que O recebem como o Seu Salvador e ainda se continua pregando o Evangelho de Cristo, a salvação através de Cristo, o batismo na água para todos os que creem e nós vemos que a Igreja foi crescendo grandemente desde o tempo dos Apóstolos, e a Igreja do Senhor Jesus Cristo ainda continua crescendo.

 

Que Deus lhes abençoe, lhes guarde e que todos vocês continuem desfrutando uma tarde feliz, repleta das bênçãos de Cristo o nosso Salvador.

 

Deixo com vocês aqui ao Ministro correspondente, para que lhes indique como fazer para se batizarem na água no Nome do Senhor Jesus Cristo. E em cada Cidade, em cada lugar do Equador, em cada país e lugar de diferentes nacionalidades, deixo ao Ministro correspondente, para que faça da mesma forma.

 

E nos veremos no Reino de Cristo com corpos glorificados, quando o Reino de Cristo for estabelecido na Terra, mas antes seremos transformados e levados a Ceia das Bodas do Cordeiro. Portanto, continuaremos nos vendo eternamente no Reino de Cristo o nosso Salvador.

 

“O SINAL DO FILHO DO HOMEM NO CÉU”.