MENSAGENS




As Obras de Jesus Cristo no meio do Sua Igreja

Data: 24/07/2016 Tempo: 01:30:23





 

 

AS OBRAS DE JESUS CRISTO NO

MEIO DA SUA IGREJA

 

William Soto Santiago

Domingo, 24 de Julho de 2016

Bogotá - Colômbia

 

 

Bom dia, amáveis amigos e irmãos, Ministros e Congregações aqui na Colômbia e nas diferentes nações. Uma saudação especial ao Dr. Miguel Bermudez Marin; Que Deus te abençoe Miguel e sempre te use grandemente na Sua Obra neste tempo final.

 

Uma saudação também ao Coordenador nacional da Embaixada Mundial de Ativistas pela Paz no Paraguai, advogado William Parras e sua esposa Kárita Machado de Parras, a todos os Coordenadores regionais lá no Paraguai e a todos os Ativistas pela Paz lá no Paraguai, os quais estão preparando a Cúpula “CUMIPAZ- 2016”, no Paraguai.

 

Tudo sairá bem lá no Paraguai. Consigam os patrocinadores também para a “Cúpula Paraguai-2016”, que se realizará neste mesmo ano. E todo o apoio que dão a essa Cúpula é importante para o êxito dessa Cúpula “Paraguai-2016”. Desejamos que seja igual ou maior do que a que se realizou no Chile no ano passado. Há muito trabalho para se fazer nos preparativos e, depois, na Cúpula, porém, vocês são a melhor equipe que há no mundo. Vocês lá no Paraguai, poiados pelos outros países com o coordenador nacional de cada país lhes ajudando também.

 

Também, em alguns países desde ontem, hoje e noutros dias, estiveram fazendo e farão um almoço em prol de recursos para a EMAP, para a Embaixada Mundial de Ativistas pela Paz, o que é muito apreciado por todos os que participaram, participam e que participarão desse almoço, porque o fazem de todo coração.

 

Hoje no mundo há muita expectativa das eleições nos diferentes países e, sobretudo, das eleições da América do Norte. Há uma profecia dada pelo Rev. William Branham a respeito da América do Norte, de uma mulher se levantando com poder político e também de que haverá outro presidente católico. Poderá se cumprir no espiritual ou no literal. Portanto, esperem. Quando virem que se cumpra numa das duas formas, essa será a interpretação dessa profecia, da qual, não vamos falar agora, mas vamos esperar um pouquinho. Isso será um grande sinal do fim, para o fim do reino dos gentios e para a introdução do Reino do Messias, a introdução do Reino Milenar e, mais adiante, veremos como está prometida e será realizada essa introdução ao Milênio.

 

Leiamos em São João no capítulo 9, do versículo 1 em diante, onde diz:

 

E, PASSANDO Jesus, viu um homem cego de nascença.

2  E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?

3  Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.

4  Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.

5  Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo”.

 

Que Deus abençoe nossas almas com a Sua Palavra e nos permita entendê-la.

 

O nosso tema de escola bíblica para esta ocasião é: “AS OBRAS DE JESUS CRISTO NO MEIO DA SUA IGREJA”.

 

Que Deus nos abra as Escrituras e o entendimento para compreendê-las.

 

As obras de Jesus Cristo no meio da Sua Igreja são a manifestação e a realização das promessas divinas para serem cumpridas na e através da Sua Igreja e na Sua Igreja, durante a Dispensação da Graça e, depois, durante a Dispensação do Reino se seguirá com as obras correspondentes à Dispensação do Reino.

 

Para cada Dispensação há Palavra prometida para ser cumprida como, por exemplo, temos o caso da promessa que foi feita a Abraão, de que a sua semente seria escravizada em terra alheia, mas aos quatrocentos anos, Deus a libertaria com mão poderosa. Em Gênesis no capítulo 15, do versículo 12 em diante, diz:

 

E pondo-se o sol, um profundo sono caiu sobre Abrão; e eis que grande espanto e grande escuridão caiu sobre ele.

13  Então disse a Abrão: Sabes, de certo, que peregrina será a tua descendência em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos,

14  Mas também eu julgarei a nação, à qual ela tem de servir, e depois sairá com grande riqueza.

15  E tu irás a teus pais em paz; em boa velhice serás sepultado.

16  E a quarta geração tornará para cá; porque a medida da injustiça dos amorreus não está ainda cheia”.

 

Aqui temos a promessa do cativeiro da descendência de Abraão em terra alheia, e já sabemos que essa terra foi o Egito, para o qual, houve motivos pelos quais tiveram de chegar até lá: por venderem a seu irmão José. Alguns das tribos, em que se conta como cabeças de tribos aos filhos de Jacó, venderam o seu irmão José, porque ele sempre estava dando a conhecer os sonhos e as visões que recebia, e se encheram de ciúmes.

 

Porque ele tinha as duas consciências juntas e, por conseguinte, podia ver em outra dimensão (na dimensão dos espíritos) e ouvir a voz dos Anjos Mensageiros que eram enviados, como Gabriel e Miguel, e podia falar das coisas que sucederiam. E como ele sempre aparecia numa posição maior que os demais, os outros irmãos representados nos molhos, e seu pai e sua mãe representados no sol e na lua, se ajoelhando  e se inclinando diante dele, o que o apresentava, então, como Príncipe, diante do qual eles tinham de se humilhar, tinham de se ajoelhar. Também isso foi com os molhos, com o sol, com a lua e as estrelas também. Dupla confirmação da posição que José ocuparia no Programa Divino. Não que ele a buscasse, mas que foi eleito e predestinado Por Deus para essa posição.

 

E algo muito importante é que José pertence à tribo de Efraim e, depois veremos isso, porque José é filho da esposa que Jacó amava, da amada e a bênção da primogenitura viria sobre a descendência de José.

 

Por isso, José tem a Efraim e a Manasses. Manasses é o maior, Efraim o menor. Portanto, ao maior lhe corresponde a bênção da primogenitura, porém, com o cruzamento das mãos que José fez e também Jacó, embora não pareça que José tenha feito o cruzamento das mãos, mas assim sucedeu, porque colocou a Efraim e a Manasses diante de Jacó, para que lhe lançasse a bênção e Efraim ficou diante da mão direita de Jacó.

 

Portanto, a bênção da direita correspondeu a Efraim, embora Efraim estivesse à mão direita de José, porém, não era José quem o abençoaria, senão Jacó a quem correspondia lançar a bênção da primogenitura e, depois, a outra bênção. José se incomodou com Jacó, porque cria que ele estava meio cego e não estava vendo bem, porém, um Profeta com visão ou sem visão, ele está vendo em outra dimensão e aí na dimensão de Deus não há cegos.

 

E Jacó lhe disse: “Meu filho, eu sei”. Ele mostrou que Deus cruzou as Suas mãos nesta ocasião e lançou a bênção da primogenitura sobre Efraim.

 

Se buscarmos nas bênçãos que foram lançadas sobre cada um dos filhos de Jacó e sobre as tribos de cada um dos filhos de Jacó, encontramos que a bênção maior é a de José: a bênção do Céu e da Terra. E, como consequência, Israel nunca poderá chegar a ser o Governo, Jerusalém o lugar de Capital do mundo, como a Capital e o Território de Israel como o Distrito Federal, se Israel não tiver a bênção da primogenitura que corresponde a Efraim. Sem essa bênção Israel desapareceria.

 

E o Messias na Sua Vinda traz essa bênção no Último Dia, junto com a bênção de Judá, para a introdução ao Reino Messiânico, ao Reino do Messias e também para a bênção da Igreja do Senhor Jesus Cristo, que é a Igreja do Novo Pacto, o povo do Novo Pacto, o qual esteve saindo do reino das trevas como Israel saiu do Egito e esteve saindo e sendo colocado na terra prometida do Reino de Deus, do Reino de Cristo.

 

Como a Escritura nos diz no capítulo 1 de Colossenses, para que nós saibamos onde são colocadas as pessoas que recebem Cristo como único e suficiente Salvador.

 

Recordemos que na entrevista que Nicodemos teve com Jesus numa noite, Nicodemos lhe disse: “Sabemos que vieste de Deus como Mestre, porque ninguém pode fazer as coisas que Tu fazes se Deus não está com Ele”. (São João no capítulo 3, versículos 1 a 6).

 

O que Nicodemos estava vendo? Que um homem chamado “Jesus” estava fazendo as obras de Deus, que estavam prometidas para aquele tempo, um carpinteiro de Nazaré estava fazendo-as. E como a profecia também dizia que era de Belém, eles não sabiam da história do nascimento de Jesus em Belém da Judeia. Deus ocultou esse mistério da Primeira Vinda de Cristo durante vinte e nove anos e meio.

 

Estava ali a Vinda do Messias, o Messias estava ali, mas o Seu ministério messiânico não tinha começado até que João O batizou e foi ungido com o Espírito de Deus, para o Espírito de Deus ministrar através Dele e cumprir as profecias correspondentes ao tempo da Primeira Vinda do Messias.

 

Vejam no capítulo 1 de Colossenses, do versículo 12 em diante:

 

Dando graças ao Pai que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz;

13  O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor;

14  Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados”.

 

De onde nos tirou? Do reino das trevas, do reino do maligno e nos colocou no Reino de Cristo.

 

Recordem que Ele é o Rei de reis e Senhor de senhores e se é Rei, tem um Reino. E a esse Reino pertencem todos os crentes em Cristo, nascidos de novo, na Era em que lhes correspondeu viver. E falando de Cristo, diz:

 

“15 O qual é imagem do Deus invisível

 

A imagem é o corpo angelical, o corpo teofânico chamado também “Espírito Santo” ou “Anjo do Pacto”, que por meio do Profeta Moisés libertou ao povo Hebreu, que estava escravizado no Egito.

 

Vejam que, para Deus cumprir essa profecia do capítulo 15 de Gênesis, do versículo 12 em diante, para Deus cumpri-la, Ele disse que o libertaria, teve um homem chamado “Moisés”, no qual se velou em carne humana para realizar a Obra correspondente àquele tempo (da liberação) e, por meio dele falou ao povo: falava a Moisés e Moisés falava ao povo.

 

Porque Deus era Deus para Moisés, porém, Moisés era Deus para Aarão e para o povo Hebreu, porque era a boca de Deus através da qual Deus em Espírito, ou seja, o Anjo do Pacto e, em palavras deste ano e deste século: era “Jesus Cristo”, o “Anjo do Pacto” em Espírito Santo libertando ao povo Hebreu, usando um véu de carne chamado “Moisés”, um Profeta Dispensacional.

 

Recordem o que Cristo disse: “Antes que Abraão existisse, eu sou”. (São João no capítulo 8, do versículo 54 a 58). Uma tremenda revelação de quem Cristo era e, por pouco O mataram, por pouco O apedrejaram, ou seja, que nem todo o mundo deseja saber a verdade.

 

E a Verdade é a verdade, as pessoas gostem ou não gostem e, sobretudo, a Verdade divina, o Programa Divino correspondente ao tempo em que corresponda a pessoa viver.

 

Assim, vejam como Cristo falou da Sua existência antes de nascer em Belém da Judeia, porque o que nasceu lá em Belém da Judeia foi a semelhança física, o corpo físico, onde Deus com o Seu corpo angelical, que é o Espírito Santo, habitou e ministrou por três anos e meio, esse é o corpo, a semelhança física de Deus.

 

Por exemplo, se uma pessoa quer ver a Deus, vejam o que Jacó disse: “Vi Deus cara a cara, e minha alma foi salva”. Porém, vamos ver mais adiante o que nos diz a respeito desta Verdade de que estava falando no capítulo 32 do Gênesis, nos versículos 21 a 32, e isto foi quando Jacó retornava para a terra prometida com as suas esposas, seus filhos e alguns netos. Ali já ia uma nação representada em Jacó e na sua família. Diz:

 

Assim, passou o presente adiante dele; ele, porém, passou aquela noite no arraial”.

 

Ou seja, esteve mandando presente para o seu irmão Esaú, para que não o atacasse com os quatrocentos e cinquenta homens que vinham com ele, para enfrentar a Jacó, porque tinha lhe roubado a bênção da primogenitura. Esta correspondia a Jacó e, por isso, Deus apoiou a Jacó.

 

O pior negociante foi Esaú e o melhor comerciante foi Jacó, que por um prato de lentilhas, comprou a primogenitura do seu irmão Esaú e, depois, quando soube que seu pai falaria a bênção da primogenitura, ele como já tinha feito o negócio e como Jacó já havia pagado pelo negócio, pois, ela correspondia a Jacó. Esaú não sabia o que estava fazendo, pensava de forma terrena. Jacó pensava de forma celestial e de forma terrena também.

 

A bênção de Deus é a que enriquece, a bênção de Deus é a que permanece, por isso, o crente em Cristo sempre trata de que, o que faça na Obra de Cristo, transcenda ao Reino de Cristo, porque encontrará a sua recompensa lá no Reino de Cristo o nosso Salvador.

 

Para isso é que Deus nos dá as bênçãos, para isso é que nos dá talentos, para isso é que nos prospera espiritualmente e materialmente: para que trabalhemos no Reino que nos corresponde, no Reino de Cristo, que é ao qual nós pertencemos como crentes em Cristo nascidos nesse Reino.

 

Nós fomos transladados do reino das trevas ao Reino de Cristo e, por conseguinte, tudo o que façamos no Reino de Cristo no meio da Sua Igreja, a qual é e está no Reino de Cristo, será recompensado no Reino de Cristo o nosso Salvador.

 

Recordem que numa ocasião os Judeus (os discípulos) lhe perguntaram: “Eis que nós deixamos tudo, e te seguimos; o que receberemos”? Ou seja: “O que teremos no Reino?” “No Reino tereis cem vezes mais do que fizeram e no Reino vos assentareis sobre doze tronos e vós julgareis as doze tribos de Israel”. [São Mateus 19:27]

 

Já lhes repartiu essa posição, portanto, ninguém tem direito de reclamar de que o coloque como juiz. Virá o tempo dos Juízes novamente, que corresponderá à Teocracia; e também virá a etapa da Monarquia, que corresponderá ao Reino de Davi, que será estabelecido na Terra por mil anos.

 

Agora, continuemos aqui:

 

E levantou-se aquela mesma noite, e tomou as suas duas mulheres, e as suas duas servas, e os seus onze filhos, e passou o vau de Jaboque.

23  E tomou-os e fê-los passar o ribeiro; e fez passar tudo o que tinha.

24  Jacó, porém, ficou só; e lutou com ele um homem, até que a alva subiu”.

“25  E vendo este que não prevalecia contra ele, tocou a juntura de sua coxa, e se deslocou a juntura da coxa de Jacó, lutando com ele.

26  E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Recordem que este encontro foi ao raiar da alva.

Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares. Jacó sempre buscando a bênção de Deus;

27  E disse-lhe: Qual é o teu nome? E ele disse: Jacó.

28  Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste.

29  E Jacó lhe perguntou, e disse: Dá-me, peço-te, a saber o teu nome. E disse: Por que perguntas pelo meu nome? E ali o abençoou.

 

Os Profetas sempre desejaram conhecer o Nome de Deus. Por exemplo, numa ocasião, no capítulo 3 do Êxodo, Moisés também disse: “Se eles me perguntarem: Qual é o Teu nome, o que lhes responderei?” E Deus lhe disse para dizer ao povo: “Eu Sou o que Sou. Eu Sou me enviou a vós”. [Êxodo 3:13-14]

 

E Moisés chegou a saber o Nome de Deus, por isso, O colocou em Josué. Josué é “Salvador”, e o Nome do Messias é “Salvador”.

 

30  E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva.

31  E saiu-lhe o sol, quando passou a Peniel; e manquejava da sua coxa.

32  Por isso os filhos de Israel não comem o nervo encolhido, que está sobre a juntura da coxa, até o dia de hoje; porquanto tocara a juntura da coxa de Jacó no nervo encolhido (deu-lhe uma cãibra)”.

 

Assim vejam como Jacó disse que viu a Deus cara a cara e a sua alma foi salva.

 

Há outro lugar no capítulo 13 do Livro dos Juízes, onde também nos fala disso e foi quando os pais de Sansão, os quais não tinham filhos e já eram anciãos, mas o Anjo lhes disse que teriam um filho, que lhe pusessem por nome “Sansão”, que seria nazireu em toda a vida e deixaria o cabelo cumprido.

 

Ele fazia os cachos (sete jubas, sete mechas), nos quais estava representado o poder de Deus que estava manifestado em Sansão. Quando os cortaram, ele perdeu a força, porque perdeu aquilo que representava o poder de Deus nele. No capítulo 13 de Juízes, do versículo 15 em diante, diz:

 

Então, Manoá disse ao Anjo do Senhor”:

 

Recordem que é o Anjo do Senhor, conhecido carinhosamente por nós como “Jesus Cristo” em Seu corpo angelical. Cristo em Seu corpo angelical é o Espírito Santo. Recordem o que Ele disse: “Eu estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo”. Isto é em Espírito Santo no Seu corpo angelical. “E onde dois ou três estejam reunidos em meu Nome (Ele disse), ali eu estarei”. São João capítulo 28, versículo 20; e São João, capítulo 18, versículo 20.

 

Temos de conhecer quem é o nosso Salvador, temos de conhecer quem é Deus em toda a Sua plenitude, quem é Deus em imagem e semelhança, porque Deus criou ao homem, ao ser humano à Sua imagem, o corpo angelical, o corpo teofânico (ou seja, em espírito, no corpo espiritual) e a Sua semelhança. A semelhança física é o corpo físico de Jesus Cristo, o qual já está glorificado.

 

Então Manoá disse ao anjo do SENHOR: Ora deixa que te detenhamos, e te preparemos um cabrito.

16  Porém o anjo do SENHOR disse a Manoá: Ainda que me detenhas, não comerei de teu pão; e se fizeres holocausto o oferecerás ao SENHOR. Porque não sabia Manoá que era o anjo do SENHOR.

Manoá não sabia que aquele era o Anjo do Senhor, pensou que era um Anjo importante e comum, mas não sabia que era o corpo angelical de Deus, a imagem do Deus vivente, o Espírito Santo, o corpo espiritual de Deus.

17  E disse Manoá ao anjo do SENHOR: Qual é o teu nome, para que, quando se cumprir a tua palavra, te honremos?

18  E o anjo do SENHOR lhe disse: Por que perguntas assim pelo meu nome, visto que é maravilhoso?

19  Então Manoá tomou um cabrito e uma oferta de alimentos, e os ofereceu sobre uma penha ao SENHOR: e houve-se o anjo maravilhosamente, observando-o Manoá e sua mulher.

20  E sucedeu que, subindo a chama do altar para o céu, o anjo do SENHOR subiu na chama do altar; o que vendo Manoá e sua mulher, caíram em terra sobre seus rostos.

21  E nunca mais apareceu o anjo do SENHOR a Manoá, nem a sua mulher; então compreendeu Manoá que era o anjo do SENHOR”.

 

Que susto! Não sabia com quem estava falando. Estava falando com Deus no Seu corpo teofânico, corpo angelical, que é um Espírito, o Espírito Santo, o Espírito Santo por meio do qual Deus criou todas as coisas.

 

Por isso, no capítulo 2 de Colossenses, diz que por meio Dele, de Cristo, Deus criou as coisas que se veem e as que não se veem, e no capítulo 11 de Hebreus também. E criou os Céus e a Terra, toda a Criação foi feita Por Deus através e por meio do Seu corpo angelical, que é o Espírito Santo, o Espírito de Deus.

 

22  E disse Manoá à sua mulher: Certamente morreremos, porquanto temos visto a Deus”.

 

Recordem o que a Bíblia diz: “Jamais alguém viu a Deus”. [São João 1:18] E Deus disse a Moisés também: “Homem algum me verá e viverá”. Porém, quando passou na frente de Moisés, Deus colocou Moisés numa greta da rocha, enquanto Deus passava e disse a Moisés: “Não verás meu rosto, porque homem algum me verá e viverá. Verás minhas costas”. E quando passou, Moisés viu Suas costas como as costas de um homem. O que viu? Deus no Seu corpo angelical passando diante de Moisés. [Êxodo 33:20-23]

 

Porém, Manoa e Jacó disseram que viram a Deus cara a cara, mas vamos ver o que São João nos diz no capítulo 1, no versículo 18, com relação a essa Verdade:

 

Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou”.

 

Jamais alguém viu a Deus, porém, a Escritura nos diz também que Jacó e Manoá viram a Deus. Então, se nenhuma pessoa viu a Deus, como é que Manoa e Jacó disseram que viram a Deus? Eles viram a Deus no Seu corpo angelical, em teofania, no corpo teofânico que é um corpo espiritual de outra dimensão. Essa é a imagem de Deus, viram a Deus em Sua imagem, viram a imagem de Deus.

 

É como nos vemos um ao outro. Não estamos nos vendo, porque somos almas viventes, porém, estamos vendo o corpo físico, a semelhança física que temos, e dizemos: “Vi fulano de tal”, mas o que viu foi a semelhança física da pessoa, que algumas vezes pode ser mudada.

 

Na ressurreição cada crente em Cristo ao ser glorificado será mudado por um corpo glorificado, eterno, imortal, incorruptível, como o corpo glorificado que Cristo tem. Como Cristo é no Seu corpo glorificado, na semelhança física de Deus, os crentes em Cristo também serão, porque todos nós somos filhos de Deus por meio de Jesus Cristo, o segundo Adão.

 

E a forma em que Deus Se deu a conhecer através da história da Bíblia, na história bíblica, na história do ser humano, da raça humana começando desde Adão até ao nosso tempo é por meio de Cristo, da Sua imagem e, depois, na Vinda do Messias a dois mil anos atrás, por meio da Sua semelhança física, através da qual cumpriu as promessas correspondentes à Primeira Vinda de Cristo.

 

Por isso, Cristo dizia: “Quem me viu, viu ao Pai”. [São João 14:9] O que estava vendo? Ao Pai? Estava vendo o Pai vestido do corpo angelical com o corpo físico, no corpo físico chamado “Jesus”.

 

Por isso, Cristo podia dizer: “Eu e o Pai somos um”. [São João 10:30] Não três pessoas, mas uma só pessoa: Pai, Filho e Espírito Santo.

 

O ser humano é alma, espírito e corpo. Aí está o mistério do ser humano como o mistério de Deus, porque Deus criou ao ser humano à Sua imagem e à Sua semelhança física, o que Ele teria, quando estivesse encarnado na pessoa do Messias na Sua Primeira Vinda.

 

Por isso, as obras que Deus faria desde a Criação seriam realizadas por meio de Cristo. Por meio de Cristo criou todas as coisas. Vejamos o que nos diz no capítulo 1 de Hebreus, desde o versículo 1 em diante:

 

HAVENDO Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas”.  Por que pelos Profetas? Porque ainda não tinha o Seu corpo físico, a Sua semelhança física, a qual estava sendo representada nos Profetas e, por isso, quando tivesse a Sua semelhança física manifestada na Terra, também seria um Profeta: o Filho do Homem, porque o título de Filho do Homem é título de Profeta. Quando se menciona Filho do Homem está-se mencionando um Profeta.

 

Por isso, quando veio em carne humana a dois mil anos atrás, Ele dizia “o Filho do Homem”, referindo-Se a Si mesmo como Profeta. O véu de carne através do qual Deus falava era por meio dos Profetas e quando Deus Se fez carne, o véu de carne era um Profeta também, através do qual falou e cumpriu as profecias correspondentes à Primeira Vinda de Cristo, para a Obra de Redenção na Cruz do Calvário.

 

“A nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho,

2  A quem constituiu herdeiro de tudo”.  

 

Muitas pessoas, governos e pessoas ricas, dizem: “Tenho tanto dinheiro, tenho tantos terrenos, tantas propriedades”. Não tem nada, porque, quando o povo Hebreu ou uma família vendia as propriedades ou as perdia, no ano do jubileu retornavam ao dono original. E todo o planeta Terra com tudo o que tem e tudo o que terá, retornará aos filhos de Deus, a Cristo e aos crentes Nele.

 

Assim haverá o suficiente para repartir galardões com todos. Não podemos perder essa oportunidade única que temos, para armazenarmos tesouros no Céu, como Cristo disse: “Fazei tesouros (onde?) no Céu”. [São Mateus 6:19-20] Lá é onde os tesouros permanecem, onde não há ladrões, onde não há traça, nem ferrugem nem nada que danifique o que está armazenado lá. Diríamos: no Banco do Reino de Deus. Lá não entram ladrões nem nada se perde, senão que se multiplicam os galardões que estão prometidos, lá não se deprecia e o que colocamos lá se multiplica, porque transcende ao Reino de Deus.

 

Notem que Pedro e outros Apóstolos, os pescadores o que tinham? Seus negócios terrenos. A maior parte deles não era rica, mas são Juízes no Reino de Cristo, que se sentarão em doze tronos para julgarem as doze tribos de Israel. E Cristo lhes disse que Eles terão cem vezes mais do que tinham e na vida eterna no Reino, na regeneração, se sentarão em doze tronos.

 

Sempre temos de apreciar as oportunidades que Deus nos dá no Seu Reino. Não fazer como Judas Iscariotes fez, que não deu importância e perdeu o trono. Porém, no Reino de Deus nada se perde, há alguém a quem o trono foi passado, e não há problema.

 

“A nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho,

2  A quem constituiu herdeiro de tudo”.

 

Os crentes são co-herdeiros com Cristo, conforme a Carta aos Romanos no capítulo 8, versículos 14 a 39.

 

2  A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo”.

 

Assim vejam o tanto que Jesus foi criticado e por meio de Jesus Cristo em Seu corpo angelical foi que Deus criou o universo completo, para colocar a raça humana aqui na Terra. O planeta mais importante é o planeta Terra, pelo qual Deus estabelecerá o Seu Trono e Seu Reino na Terra. (Apocalipse versículos 21 e 22).

 

Aqui, diz:

 

“... por quem fez também o mundo”.

 

E depois apareceu na Terra como um simples carpinteiro. Sendo rico, dono do universo completo, Se fez pobre, para que em Sua pobreza e por Sua pobreza, nós sejamos ricos e herdeiros de toda a Criação, co-herdeiros com Cristo.

 

3  O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa... A imagem de Sua pessoa é o corpo angelical, o Espírito Santo... e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder”.   

 

Cristo é quem sustenta todas as coisas com a Palavra do Seu poder. Por meio Dele foi que Deus criou tudo, os Céus e a Terra e, depois, quando subiu ao Céu, sentou-se à direita de Deus e sustenta todas as coisas por meio da Palavra do Seu poder.

 

Ou seja, se o universo e os seres humanos existem, é porque Cristo está sustentando a vida do universo e a vida dos seres humanos.

 

“... Havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas”.

 

Assentou-se à direita da Majestade nas alturas, sentou-se no Trono de Deus, como o próprio Cristo disse em São Mateus no capítulo 26, versículos 63 e 64, isto foi quando estava sendo julgado pelo Sumo Sacerdote e pelo Concílio do Sinédrio:

 

“Jesus, porém, guardava silêncio. E, insistindo o sumo sacerdote, disse-lhe: Conjuro-te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus.

64  Disse-lhe Jesus (não o negou): Tu o disseste; digo-vos, porém, que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu”.

 

Aqui estava mostrando que, embora morresse, ressuscitaria, subiria ao Céu e se sentaria à direita de Deus no Céu.

 

Algumas pessoas pensam: “Então, há alguém sentado num Trono aqui e há outro no outro trono?” Diz: “No trono” não “nos tronos”. E como pode ser possível, que se sente no Trono de Deus, no Trono do Pai? É porque Deus está dentro de Cristo. E se Cristo está sentado no Trono, Deus está Nele. Tão simples assim.

 

É como você estar sentado ou sentada aqui e sua alma e seu espírito também estarem sentados, porque sua alma e seu espírito estão no seu corpo físico.

 

Encontramos que o povo Hebreu é o povo do Antigo Pacto, do Pacto dado a Moisés ao povo Hebreu por parte de Deus, portanto é o povo tirado do Egito, a Igreja, o povo tirado do Egito, os tirados fora e levados a terra prometida. E esse é o tipo e figura, a sombra do povo do Novo Pacto, que é a Igreja do Senhor Jesus Cristo, composta pelos filhos e filhas de Deus.

 

O povo do Pacto Antigo, do Antigo Testamento é o povo dos servos de Deus. Deus disse que Abraão era Seu servo. E, agora, o povo dos filhos de Deus é a Igreja do Senhor Jesus Cristo, descendente do Filho de Deus “Jesus Cristo”, o segundo Adão, o qual vai Se reproduzindo em filhos e filhas de Deus, na Obra de Cristo no meio da Sua Igreja, conforme ao Programa original de Deus, que é tendo o corpo angelical chamado “Espírito Santo” e, por conseguinte, obtendo assim o novo nascimento do qual Cristo falou a Nicodemos no capítulo 3 de São João, versículos 1 a 6, quando lhe disse: “Em verdade, em verdade te digo, que quem não nasça de novo, não pode ver o Reino de Deus”.

 

Nicodemos pensou que tinha de nascer fisicamente de novo, mas se referiu ao nascimento espiritual, ao nascimento no corpo angelical ou espiritual e lhe perguntou: “Como pode se fazer isto? Pode o homem já sendo velho entrar no ventre de sua mãe e nascer de novo?” Cristo lhe disse: “Em verdade, em verdade te digo, que quem não nasça da Água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus”. E todo ser humano quer entrar no Reino de Deus.

 

O Reino de Deus é o Reino de Cristo o nosso Salvador, composto pelos crentes em Cristo que formam a Igreja do Senhor Jesus Cristo. O Seu Reino está na etapa ou fase espiritual, com milhões de pessoas nascendo no Reino de Deus, desde o dia de Pentecostes até hoje, por meio da Obra de Cristo no meio da Sua Igreja, de Era em Era.

 

Assim como na família humana se vai tendo filhos a cada certa data do matrimônio da família. Não se tem todos de uma vez, a menos que a esposa seja operada.

 

Em cada visitação de Cristo em Espírito Santo no meio da Sua Igreja correspondente a cada Era, no meio da qual esteve com Ela de Era em Era desde o dia de Pentecostes e quando se chega ao tempo de Se reproduzir em filhos e filhas de Deus, vem a Mensagem da parte de Cristo manifestado ao Mensageiro de cada Era e, depois, ele a capta, a prega e começa o avivamento para a reprodução dos filhos e filhas de Deus, que obterão o novo nascimento, que nascerão no Reino de Deus e, que, por conseguinte, obterão essa entrada à vida eterna, serão restaurados à vida eterna no campo espiritual.

 

E para receber a vida eterna no corpo físico será na ressurreição no Último Dia. E, então, haverá ressurreição espiritual, que é a que se recebe quando se recebe a Cristo, Cristo batiza a pessoa com o Espírito Santo e Fogo, depois, a segunda parte da redenção será a transformação dos nossos corpos, para os que estivermos vivos nesse tempo; e para os que morreram será a ressurreição deles em corpos glorificados, em corpos eternos, dos que foram selados com o Espírito de Deus no tempo da Mensagem correspondente a cada etapa da Igreja; Mensagem que se estende da parte de Deus ao Mensageiro, e do Mensageiro ao povo, e se enche toda a Terra que possa ser alcançada nessa etapa dessa Era.

 

Há diferentes etapas e, por conseguinte, de Era em Era há mais Luz. Cristo disse: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida”. (São João capítulo 8, do versículo 12 em diante). E em outros lugares diz: “Eu, a Luz, vim ao mundo”. [São João 12:46]

 

Como um homem pode ser a Luz? Cristo é a Luz, o Anjo do Pacto que aparecia na forma de Luz, é a sarça que ardia e não se consumia, quando apareceu a Moisés no capítulo 3 do Êxodo.

 

E Deus é Luz. Deus manifestado através de cada Profeta no Antigo Testamento era a Luz para essa etapa; e manifestado em Cristo é a Luz para o mundo inteiro. E, por conseguinte, depois os crentes em Cristo são Luz também, dos quais Cristo disse: “Vós sois a luz do mundo”. [São Mateus 5:14] Porque seriam os que levariam a Luz de Cristo, a Luz do Evangelho, a Luz da Primeira Vinda de Cristo, o Evangelho da Graça a todas as nações.

 

Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura; quem crer e for batizado, será salvo, mas quem não crer, será condenado”. [São Marcos 16:15-16]

 

Há duas coisas, e uma delas cada ser humano obterá: a salvação ou a condenação, para que não tenha muita escolha. E Deus faz tudo. É pela fé que vem pelo ouvir a Palavra de Deus, a Mensagem de Deus para o tempo em que a pessoa está vivendo e toda pessoa que está escrita no Livro da Vida do Cordeiro no Céu, desde antes da fundação do mundo é chamada.

 

Essas são as pessoas que tinham de vir no tempo de Adão e Eva. O primeiro Adão não as trouxe, mas o segundo Adão, Cristo, as traz por meio da segunda Eva, que é a Sua Igreja.

 

É no meio da Sua Igreja onde Cristo esteve fazendo a Obra correspondente à Dispensação da Graça, a Obra de Salvação e de vida eterna (quanto ao chamado, porque a Obra de Redenção já foi realizada na Cruz do Calvário). E com a pregação do Evangelho de Cristo, que apresenta a Primeira Vinda de Cristo e a Sua Obra de Redenção na Cruz do Calvário, é iluminado o entendimento e a alma, o coração de cada ser humano escrito no Céu, no Livro da Vida do Cordeiro.

 

Recordem que também no capítulo 10 de São João, do versículo 26 em diante, alguns não queriam escutar, e Ele lhes disse:

 

Mas vós não credes, porque não sois das minhas ovelhas, como já vos tenho dito.

27  As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem;

28  E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão.

29  Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai.

30  Eu e o Pai somos um”.

 

AS OBRAS DE JESUS CRISTO NO MEIO DA SUA IGREJA”, podemos ver que foi ao estar cumprindo a promessa correspondente a cada Era, para trazer a salvação e a vida eterna a todo aquele que está escrito, no Livro da Vida do Cordeiro no Céu. Desde quando? Desde antes da fundação do mundo. Por isso, não podem se perder.

 

São pessoas escolhidos Por Deus. São os genes do pensamento divino. Por isso, nós estávamos em Cristo, continuamos em Cristo e viemos a Cristo para que nos restaure à vida eterna.

 

A Obra para a primeira Era já se cumpriu entre os gentios, na Igreja do Senhor Jesus Cristo do Novo Pacto, a segunda, a terceira, a quarta, a quinta, a sexta e a sétima Era e já estivemos subindo na Era da Pedra Angular, na Era de Ouro da Igreja, na Era paralela à Primeira Vinda de Cristo, que foi a Era de Pedra Angular para aquele tempo, aonde a Pedra Angular que é Cristo veio, um homem, a Pedra de Fundamento e a Pedra de Coroa, onde estava o Nome de Deus para a Obra de Redenção.

 

A Era de Pedra Angular tem uma qualidade: as sete Eras da Igreja corresponderam ao tempo da noite, ao tempo da escuridão, porém, a Era de Pedra Angular corresponde ao tempo do dia. Por isso, Cristo disse: “Eu sou a Luz do mundo”. Por isso, Malaquias também disse no capítulo 4, versículo 2: “Aos que temem meu nome, nascerá o Sol de Justiça, e em Suas asas trará saúde, salvação”.

 

Veio em Seu ministério pela manhã, iluminando no meio da Igreja do Antigo Testamento: o povo Hebreu. E para o Último Dia virá na Era de Pedra Angular, que corresponde ao tempo da manhã.

 

Recordem que apareceu também a Jacó, quando estava raiando a alva, e lhe disse: “Deixe-me ir que raia a alva, tenho de ir”. E assim será para o tempo final com os Judeus, para o tempo em que Cristo tenha que ir com a Sua Igreja, eles verão a Cristo no meio do povo do Novo Pacto, na Igreja do Senhor Jesus Cristo, e dirão: “Este é quem nós estamos esperando”. Mas Ele vem por Sua Igreja, para levá-la, para ressuscitar aos crentes mortos Nele, transformar aos vivos e levá-los com Ele a grande Ceia das Bodas do Cordeiro, onde a Igreja será investida como a Rainha junto ao Rei de reis e Senhor de senhores, e onde Cristo será investido como Rei sobre a Terra. E logo depois dessa festa de três anos e meio, retornará a Terra para começar o Reino Milenar, o Reino Messiânico, que terá a sua Capital em Jerusalém e como Distrito Federal todo o território que Israel tem e o que terá.

 

Trará a paz para Israel, para todo o Oriente Médio e para toda a família humana. Aí será onde a paz verdadeira será estabelecida pelo Príncipe de Paz do capítulo 9 de Isaías, do versículo 1 em diante, que é o Messias na Sua Segunda Vinda, o qual na Sua Primeira Vinda nos trouxe a paz para a alma, a paz para o nosso interior e na Sua Segunda Vinda trará a paz para a família humana, também a paz física, a paz para as nações, e a cura para a Terra.

 

Recordem que a Terra foi amaldiçoada quando Adão e Eva pecaram, mas Deus abençoará a Terra, a água, o ar e tudo para o Reino do Messias, assim como abençoa o nosso corpo físico, que é terra e água também.

 

Há bênção para o corpo e bênção para o meio ambiente, para os ecossistemas. E se haverá cura para eles é porque estão doentes. A Terra está doente, clamando com gemidos inexprimíveis, conforme a Carta aos Romanos no capítulo 8, versículos 14 a 39, clamando pela adoção, a redenção dos filhos de Deus, a redenção do corpo, que será a nossa transformação.

 

E, por isso, na etapa de Era de Pedra Angular, virá a adoção física, que será a nossa transformação, para os que já estarão aí e terão a adoção espiritual, que é o novo nascimento, o batismo do Espírito Santo e, portanto, entraram na terra prometida do Reino de Deus e também fisicamente entrarão com corpos glorificados no Reino de Cristo, no Reino de Deus.

 

A Era de Pedra Angular é a Era do Dia, mas recordem que antes do Dia começar, pois o dia começa pela tarde, conforme ao calendário Judeu. Ao pôr do sol termina um dia e começa o outro.

 

Por isso, para os Judeus o dia de sábado começa na sexta-feira ao pôr do sol. Ou seja, que já na sexta-feira estão no sábado, já estão em repouso em descanso e estão no sétimo dia. E assim são as Eras também. As Eras se entrelaçam umas com outras, como para os Judeus os dias se entrelaçam na tarde, e para os gentios, para uns em certa hora, outros em outra, outros a meia-noite e assim por diante.

 

Mas o mais importante é o campo espiritual do Programa Divino, em que haverá um entrelace entre a sétima Era da Igreja e a Era da Pedra Angular. Por isso, o precursor da Segunda Vinda de Cristo falou tanto da Vinda do Filho de Homem, falou também da Vinda de Moisés e de Elias, das Duas Oliveiras, porque lhe correspondia fazer essa introdução, para que saibam o que está prometido para a Igreja do Novo Pacto e o que Jesus Cristo estará cumprindo, fazendo no meio da Sua Igreja.

 

O mistério do Sétimo Selo, o mistério da Segunda Vinda de Cristo corresponde à Era de Pedra Angular, para ser revelada por meio dos Sete Trovões, ou de Cristo falando no Último Dia, na Era da Pedra Angular, falando com uma Voz como de Trombeta, uma Grande Voz como de Trombeta, clamando como leão, e sete trovões emitindo as suas vozes.

 

O mistério, o conteúdo da Voz dos Sete Trovões é a revelação da Segunda Vinda de Cristo com Seus Anjos. E disso não se deve falar muito, para que os copiadores não tratem de imitar e vão se prejudicar. Se tratarem de imitar, bem que merecem ir para onde Judas foi, porque os imitadores sempre tratam de fazer as coisas que Deus não lhes manda fazer. A Escritura diz: “O Senhor está em Seu Templo; cale diante Dele toda a Terra”. [Habacuque 2:20]

 

A Era de Pedra Angular é tempo para escutar o que está prometido e o que está sendo cumprido, conforme ao que está prometido na Escritura para este tempo final, correspondente a etapa de Pedra Angular, a Era de Ouro da Igreja, o Lugar Secreto de Deus, o Lugar do Trono de Cristo na Sua Igreja.

 

Recordem que no Templo que Salomão construiu e no Tabernáculo que Moisés construiu. o Lugar de morada de Deus era (onde?) no Lugar Santíssimo em cima do Propiciatório, onde estavam os Dois Querubins de Ouro e os Dois Querubins de Madeira de Oliveira cobertos de Ouro lá no Templo de Salomão.

 

Por isso, é na parte do Lugar Santíssimo do Templo Espiritual de Cristo, Templo, que é a Igreja do Senhor, a Era de Pedra Angular é esse Lugar Santíssimo, onde aparecerão os ministérios das Duas Oliveiras representadas nos Dois Querubins de Oliveira, que Salomão construiu e os cobriu de ouro.

 

Essa é a Era do Amor Divino, essa é a Era da qual o Rev. William Branham lhe colocou “Amor”. E Jesus Cristo é o Amor de Deus manifestado. Portanto, é a Era, para a grande Vitória no Amor Divino, que está prometida para o tempo final, para logo depois da manifestação em toda a Sua plenitude, de Cristo no meio da Sua Igreja na Visão da Tenda, nos levar com Ele a Ceia das Bodas do Cordeiro.

 

Nesta ocasião estivemos falando principalmente dos escolhidos que formam a Igreja do Senhor Jesus Cristo. Em outra ocasião falaremos dos que ajudarão ou dos que ajudaram a Igreja do Senhor Jesus Cristo composta pelos crentes em Cristo nascidos de novo, através das Eras e no nosso tempo.

 

AS OBRAS DE JESUS CRISTO NO MEIO DA SUA IGREJA”.

 

Historicamente temos visto em diferentes ocasiões a Obra de Jesus Cristo no meio da Sua Igreja, de Era em Era e, agora, nos corresponde ver as obras de Jesus Cristo na Era de Pedra Angular, que é a nossa Era.

 

Conhecer tudo o que aconteceu nas Eras passadas, mas não conhecer o que corresponde ao nosso tempo é muito pouco produtivo espiritualmente, porque seríamos crentes da história e não da realidade que se está vivendo neste tempo, no Programa de Deus que corresponde à Era de Pedra Angular, e que culminará com a ressurreição dos mortos em Cristo, a transformação dos vivos e o arrebatamento da Sua Igreja.

 

Deus ainda está chamando e quando se completar o grupo dos escolhidos do Último Dia na Era de Pedra Angular, então, Cristo sairá do Trono de Intercessão, onde está como Sumo Sacerdote intercedendo por cada pessoa que tem o seu nome escrito no Céu, no Livro da Vida do Cordeiro e Cristo não pode sair de lá, do Trono de Intercessão, até que tenha redimido até o último escrito no Livro da Vida do Cordeiro no Céu.

 

Pelo qual, sempre se dá a oportunidade às pessoas que não receberam Cristo como Salvador, de receber Cristo como Salvador, ao escutar a pregação do Evangelho de Cristo e a fé de Cristo nascer na alma da pessoa, porque a fé vem pelo ouvir a Palavra do Senhor, o Evangelho de Cristo. E a pessoa com a sua alma, com o seu coração crê ou não crê.

 

Se ela é um escolhido de Deus a fé nascerá na sua alma, crerá e receberá Cristo como Salvador. Para o qual e pelo qual, nestes momentos todos os que estão presentes aqui e os que estão em outras nações que ainda não receberam Cristo, têm a oportunidade de recebê-Lo nestes momentos como único e suficiente Salvador. Para o qual, podem passar até aqui na frente, e estaremos orando por vocês.

 

As crianças de dez anos em diante, também podem chegar aos Pés de Cristo. Recordem o que Cristo disse: “Deixai os meninos, e não os estorveis de vir a mim; porque dos tais é o reino dos céus”. [São Mateus 19:14] As crianças não têm pecado, por isso, quando uma criança morre vai ao Céu.

 

Podem continuar vindo aos Pés de Cristo em outros países também, para que fiquem incluídos na oração que estaremos fazendo por cada um dos que escutou, cuja fé de Cristo nasceu na sua alma, e querem dar testemunho público da sua fé em Cristo recebendo-O como único e suficiente Salvador.

 

Recordem o que Cristo disse: “Quem me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante do meu Pai que está nos Céus; mas quem me negue diante dos homens, eu o negarei diante de meu Pai que está nos Céus”. [São Lucas 12:8-9] Ou seja, é uma confissão pública, quando a pessoa confessa a Cristo como seu único e suficiente Salvador.

 

Cristo não se envergonhou por nós e nem de nós, para morrer na Cruz do Calvário, como se fosse um malfeitor e, agora, não nos envergonhamos de Cristo para recebê-Lo como nosso único e suficiente Salvador.

 

É a vida eterna o que está em jogo para todo ser humano. Recebê-Lo como Salvador significa a vida eterna no Reino de Cristo o nosso Salvador. Rejeitá-Lo, não recebê-Lo significa que a única vida que viveremos será esta vida terrena e o tempo em que se viva no tempo do Juízo Final, e nada mais. Depois desaparecerá, não haverá memória da pessoa.

 

A oportunidade que todo ser humano tem para receber a vida eterna é enquanto vive nesta Terra. E alguns têm muitos dias e anos e, algumas vezes, nem recebem Cristo, portanto, estão perdendo o seu tempo na Terra.

 

O principal para o ser humano ao viver na Terra é fazer contato com a vida eterna através de Cristo, para receber a vida eterna, ser colocado no Reino eterno de Cristo, para viver por toda a eternidade e jovem, aparentando de dezoito a vinte e um anos de idade, e sem problemas de saúde com corpo glorificado, igual ao corpo glorificado de Cristo o nosso Salvador.

 

E sem necessidade de aviões, porque no corpo glorificado temos o exemplo em Cristo, quando os discípulos estando com as portas fechadas, logo depois da ressurreição Dele, Ele entrava e depois desaparecia. É porque já vem com o equipamento por dentro, o equipamento da transformação e todo equipamento de que se necessita.

 

Tudo o que Cristo tem no Seu corpo os crentes em Cristo nosso Salvador terão e serão jovens para toda a eternidade; e como membros do Reino de Cristo, como Reis, Sacerdotes e Juízes, como o Apocalipse nos diz nos capítulos 1, 5, e no capítulo 20 nos versículos 4 a 6. E para começarmos, a reinar com Cristo por mil anos, quando lá na Ceia das Bodas do Cordeiro Cristo e Sua Igreja já estiverem investidos como reis, o Rei e a Rainha, para reinarem sobre a Terra por mil anos e, depois, por toda a eternidade.

 

O que vivemos aqui na Terra nestes corpos, quanto a anos, é menos do que um grão de areia. Comparado com o Milênio, digamos que seria uma décima parte, para os que vivam cem anos e se comparado com a eternidade, não há comparação, o grão de areia é muito grande.

 

Portanto, agradecemos a Deus por Cristo e por Suas obras no meio da Sua Igreja, para nos dar a Luz, nos iluminar a alma e o entendimento para recebê-Lo como Salvador e para obtermos a vida eterna, sermos colocados no Seu Reino eterno e vivermos com Ele por toda a eternidade.

 

Vamos ficar em pé para orarmos pelas pessoas que vieram aos Pés de Cristo o nosso Salvador.

 

Com os nossos rostos inclinados e nossos olhos fechados:

 

Pai Celestial, eu venho a Ti com todas estas pessoas que vieram aos Pés de Cristo recebendo-O como Salvador. Rogo-Te que as recebas no Teu Reino, no Nome do Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

Agora repitam comigo esta oração que estarei fazendo por vocês que estão presentes aqui e em outros países:

 

Senhor Jesus Cristo, escutei a pregação do Teu Evangelho e a Tua fé nasceu no meu coração, na minha alma.

 

Creio em Ti com toda a minha alma e creio que Tu és o meu Salvador, e reconheço que não há outro nome debaixo do Céu, dado aos homens, em que podemos ser salvos.

 

Creio na Tua Primeira Vinda, creio na Tua morte na Cruz do Calvário como o Sacrifício da Expiação pelos nossos pecados. Escutei a pregação do Teu Evangelho, a Tua fé nasceu na minha alma e creio em Ti com toda a minha alma.

 

Dou testemunho público da minha fé em Ti e Te recebo como meu único e suficiente Salvador.

 

Rogo-Te que perdoes meus pecados, que me limpes de todo pecado com Teu Sangue, que me batizes com o Espírito Santo e Fogo, e que produzas o novo nascimento em mim. Eu Te rogo no Teu Nome Eterno e glorioso: Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

E, agora, os que vieram aos Pés de Cristo nos diferentes países, perguntarão: “Quando podem me batizar? Já que Cristo disse: ‘quem crer e for batizado, será salvo”.

 

Porquanto vocês creram de todo coração, todos podem ser batizados, que Cristo lhes batize com o Espírito Santo e Fogo, que produza o novo nascimento em vocês.

 

Recordando que o batismo na água é tipológico; quando a pessoa recebe Cristo como Salvador, está morrendo, quando é submersa nas águas batismais, simbolicamente (espiritualmente), está sendo sepultada e quando é levantada das águas batismais está ressuscitando para uma nova vida: à vida eterna com Cristo no Seu Reino eterno. Tão simples assim.

 

E o próprio Cristo foi batizado por João o Batista, depois quando Se levantou das águas batismais, e o Espírito Santo veio, todos nós estávamos Nele, porque somos os genes do pensamento divino dos filhos e filhas de Deus. Por isso, a Escritura diz: “Todos vós que fostes batizados em Cristo, estais revestidos de Cristo”. [Gálatas 3:27]

 

Portanto, quando Cristo estava criando o universo, estávamos Nele, porque os filhos estão nos lombos do seu pai, e Cristo é o Pai dessa Família Celestial, dos filhos e filhas de Deus. E quando Cristo esteve na Terra, também estávamos Nele, quando Cristo morreu, estávamos Nele e quando Cristo foi batizado, estávamos Nele também.

 

Por isso, podemos ver aí a Ordem do batismo na água, para os crentes em Cristo e, depois, o batismo do Espírito Santo como veio sobre Jesus. Essa Ordem segue a todos os filhos e filhas de Deus.

 

João não queria batizá-Lo, como algumas vezes se passa, quando as pessoas creem e, depois, não lhe dão a oportunidade para se batizarem rapidamente. Cristo lhe disse: “Convém cumprirmos toda a justiça”. E para os crentes em Cristo, lhes convém cumprir toda a justiça o mais rápido possível. Pelo qual, podem ser batizados, que Cristo lhes batize com o Espírito Santo e Fogo, e que produza o novo nascimento em cada um de vocês.

 

Recordem que no Dia de Pentecostes, quando Pedro pregou, quase três mil pessoas creram e foram batizadas nesse mesmo dia. Essa é a Ordem da pregação do Evangelho: dar oportunidade para que recebam a Cristo, o batismo na água para, depois, receberem o Espírito de Cristo o nosso Salvador.

 

Para mim foi um grande privilégio estar com vocês nesta ocasião, no estudo bíblico: “AS OBRAS DE JESUS CRISTO NO MEIO DA SUA IGREJA”.

 

Que Deus lhes abençoe, lhes guarde; e deixo ao Rev. Martín Franco para que lhes indique como fazer, para batizarem aos que vieram aos Pés de Cristo nesta ocasião. E em cada país e em cada igreja deixo ao Ministro correspondente, para que lhes indique como fazer para se batizarem na água, no Nome do Senhor Jesus Cristo, e deixo em Porto Rico ao Rev. José Benjamim Pérez, para que lhes indique como fazer para que se batizem os que tenham vindo aos Pés de Cristo nesta manhã lá em Porto Rico.

 

Que Deus lhes abençoe e lhes guarde e até no próximo domingo em Cali, com a ajuda de Deus, e até nas próximas ocasiões em que voltaremos a nos ver.

 

Que Deus lhes abençoe e guarde a todos.

 

AS OBRAS DE JESUS CRISTO NO MEIO DA SUA IGREJA”.