MENSAGENS





Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/cderc813/public_html/mensagens/index.php on line 54

Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/cderc813/public_html/mensagens/index.php on line 121

Os quarenta dias de Jesus na terra antes do rapto - Introdução

Data: 01/04/2016 Tempo: 00:35:41





 

 

OS QUARENTA DIAS DE JESUS NA

TERRA ANTES DO RAPTO

 

 

William Soto Santiago

Sexta-feira, 01 de abril de 2016

Cayey - Porto Rico

 

 

Boa noite aos amáveis amigos e irmãos aqui presentes, e aos Ministros e Congregações que estão através do Satélite Amazonas ou da Internet em diferentes nações, e ao Dr. Miguel Bermúdez Marín lá na República Mexicana.

 

Que Deus derrame as Suas bênçãos sobre cada um de vocês, sobre mim também e nos encha do conhecimento da Sua Palavra, nos abra as Escrituras e o entendimento para compreendê-las e que aumente a nossa fé na Escritura, na Palavra, nas promessas de Deus para o nosso tempo, no Nome do Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

Para mim é uma grande bênção estar com vocês nesta ocasião, para termos uma pequena conversa sobre os quarenta dias de Jesus já ressuscitado, aparecendo aos Seus discípulos, principalmente lhes aparecendo aos  domingos. O domingo sempre é um dia muito especial para os crentes em Cristo, porque foi o dia do Molho Movido, que é Cristo sendo ressuscitado no dia de domingo a dois mil anos atrás.

 

Leiamos no Livro dos Atos no capítulo 1, versículos 1-11, e São Lucas foi o escritor deste Livro dos Atos e disse:

 

“FIZ o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo o que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar,

2  Até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera;

3  Aos quais também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias, e falando das coisas concernentes ao reino de Deus.

4  E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes.

5  Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.

6  Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel?

7  E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder.

8  Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.

9  E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.

10  E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco.

11  Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir”.

 

Que Deus abençoe as nossas almas com a Sua Palavra e nos permita entendê-la.

 

OS QUARENTA DIAS DE JESUS NA TERRA ANTES DO RAPTO”. Estes quarenta dias são desde o dia da Sua ressurreição até no dia que teve o rapto ou o arrebatamento e foi levado ao Céu.

 

Isto que sucedeu sob o ministério de Cristo desde que veio até que Ele se foi, tudo está contemplado nas Festas Hebraicas, nas sete Festas Hebraicas e aí está contemplado tudo o que se cumpriu na Primeira Vinda de Cristo, e o que falta para ser cumprido dessas sete Festas se cumprirá na Segunda Vinda de Cristo.

 

Ou seja, se cumpriu a primeira Festa a Festa da Páscoa, da qual na Primeira Carta aos Coríntios no capítulo 5, versículo 7, São Paulo disse:

 

Porque a nossa Páscoa, a qual é Cristo, já foi crucificada por nós”.

 

Cristo é o Cordeiro Pascoal, como em São João capítulo 1, versículos 27-36, João o Batista disse: “Eis aqui o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. O que mostra aí também é que Ele tinha de ser sacrificado para a preservação da vida dos primogênitos escritos no Livro da Vida do Cordeiro no Céu, que seriam os membros da Igreja do Senhor Jesus Cristo.

 

Também encontramos a Festa dos Pães sem Fermento por sete dias, essa é a segunda Festa. Também temos a Festa das Primícias (e Cristo é “as Primícias”), na Primeira Carta aos Coríntios no capítulo 15, versículo 23 e Levítico no capítulo 23, do versículo 9 em diante.

 

Por isso, Cristo ressuscitou no Dia do Molho movido, o qual é o nosso Molho Movido. E logo depois veio o tempo em que se tinha de contar quarenta e nove dias e logo em seguida o “Dia Cinquenta” é o Dia de Pentecostes que nos fala de colheita.

 

A Festa de Pentecostes é a Festa que se cumpriu no Dia de Pentecostes, Deus derramando o Seu Espírito Santo sobre os crentes que estavam no Aposento Alto, e que já tinham passado pelos quarenta dias com Jesus já ressuscitado, onde Cristo esteve com eles falando-lhes sobre o Reino de Deus. Muitas coisas não foram escritas, mas ficou no conhecimento dos que foram a receber o Espírito Santo no Dia de Pentecostes.

 

Vejam que todas as coisas que sucederam já estavam profetizadas por diferentes instrumentos de Deus, os Profetas. Estavam também nas Festas Hebraicas e quatro Festas Hebraicas já se cumpriram: A Páscoa, Os Sete Dias dos Pães sem Fermento. A terceira Festa: A Festa das Primícias, a qual é Cristo ressuscitado. Ele é a nossa “Primícia”, Cristo a nossa “Primícia”, como nos diz na Primeira Carta aos Coríntios, no capítulo 15, versículo 23 e, depois, os que são de Cristo em Sua Vinda, os quais serão ressuscitados no Último Dia, e os que estiverem vivos serão transformados.

 

Depois dos quarenta dias de Cristo com os Seus discípulos, logo dez dias dos Seus discípulos lá no Aposento Alto até chegar ao Dia Cinquenta, quando o Espírito Santo veio sobre os crentes em Cristo. O Dia Cinquenta é o Dia de Pentecostes, porque “Pentecostes” significa cinquenta.

 

Esse dia é muito importante, porque é o tempo em que se apresentava a Deus o Fruto da Colheita, o que foi realizado durante o ministério de Cristo que semeou e logo depois veio a Colheita; e durante o tempo que Cristo esteve com eles esteve lhes ensinando, lhes falando do Reino de Deus e preparando-os para o Dia de Pentecostes, onde receberiam o Espírito Santo e eles obteriam essa mudança interior, essa transformação interior, ou seja, o “Novo Nascimento”.

 

Essa Festa de Pentecostes tem continuado na Dispensação da Graça. E enquanto faltar alguém para ser acrescentado à Igreja essa Festa seguirá até a final e, depois, virá uma repetição sob um novo ciclo divino, onde haverá uma grande manifestação de Deus no meio da Sua Igreja, a qual será a Adoção, quando Deus adotará como filhos e filhas a todos os crentes em Cristo das Eras passadas e os do nosso tempo, ressuscitando aos mortos crentes Nele e transformando aos que estiverem vivos.

 

Isto é para o Ano de Pentecostes, isso é para a Era de Pedra Angular, para o Último Dia logo depois de passadas as etapas das sete semanas de dias e depois veio o Dia de Pentecostes; agora, as sete Eras da Igreja representadas nos quarenta e nove dias já são passadas, logo virá o Ano de Pentecostes, logo depois das sete semanas de anos proféticos, o qual para este tempo final, a Igreja do Senhor Jesus Cristo sobe no Aposento Alto, que é a Era de Pedra Angular, para esperar a ressurreição dos mortos em Cristo e a nossa transformação dos que vivemos.

 

Encontramos que para aquele tempo houve a ressurreição de Cristo com os Santos do Antigo Testamento e para este tempo final haverá uma ressurreição dos Santos do Novo Testamento, e uma transformação dos que estiverem vivos, para logo irem com Cristo a Ceia das Bodas do Cordeiro.

 

E, porquanto, essas Festas Hebraicas, essas sete Festas e mais o Ano do Jubileu representavam eventos que Deus fará no meio do Seu povo, tanto do Seu povo Israel, onde quatro Festas já cumpriram e continuará cumprindo as outras Festas com Israel, como a Festa das Trombetas de Levítico, capítulo 23, versículos 23-25 e depois disso a Festa da Expiação de Levítico, capítulo 23, versículos 26-29.

 

Não será feito um sacrifício de novo, mas eles entenderão Deus lhes abrirá o entendimento e as Escrituras para compreenderem que já se realizou a Festa da Expiação e foi a morte de Cristo na Cruz do Calvário. Então eles chorarão, lamentarão pelo que sucedeu e aí virá o arrependimento, o arrependimento de Israel para alcançar a misericórdia de Deus no Último Dia.

 

Depois disso virá a Festa das Cabanas, a Festa dos Tabernáculos que será o Reino Milenar para Israel e para todos os que sobrevivam na Terra, que sobrevivam a grande tribulação e, sobretudo, para a Igreja do Senhor Jesus Cristo que estará no Céu, no Jantar das Bodas do Cordeiro, e que regressará para o estabelecimento do Reino Milenar.

 

Cristo já cumpriu quatro Festas, agora, faltam três que cumprirá na Sua Segunda Vinda: a Festa das Trombetas, a Festa da Expiação e a Festa dos Tabernáculos. Tão simples assim.

 

E, agora, nos encontramos em um tempo muito, mas muito importante. Para a Igreja é o tempo mais glorioso de todos os tempos, tempo em que a Igreja do Senhor Jesus Cristo subiu à Era do Aposento Alto, à Era da Pedra Angular para esperar a Vinda do Senhor: a vinda dos crentes que partiram regressando na ressurreição, e os vivos sendo transformados para irem com Cristo a Ceia das Bodas do Cordeiro.

 

Haverá uma manifestação plena logo depois da ressurreição onde nós estaremos todos juntos, quando tivermos o corpo novo. Assim não se preocupem em buscar uma passagem aérea, está assegurado no Programa Divino que nós estaremos juntos e que iremos com Cristo a Ceia das Bodas do Cordeiro no Céu. Enquanto isso, nós nos comunicaremos através do Satélite, da Internet e todos nós como um só corpo escutando a Palavra do Senhor que nos prepara para o cumprimento do Ano de Pentecostes ou do Ano Cinquenta no Programa Divino; pois vemos que naqueles dias se recorreram essas etapas, depois correspondeu o cumprimento dos anos. E tudo isso mostra as sete Eras da Igreja que corresponderam aos sete anos de cada semana, para logo depois vir o Ano Cinquenta que corresponde à Era de Pedra Angular, onde Ele nos transformará e nos levará com Ele a Ceia das Bodas do Cordeiro.

 

Esse é o Aposento Alto para a Igreja do Senhor Jesus Cristo, essa é a Era Messiânica no meio do Cristianismo para o Último Dia, esse é o lugar para esperarmos a nossa transformação, para esperarmos essa mudança que todos nós necessitamos, para irmos com Cristo a Ceia das Bodas do Cordeiro.

 

Transcorreram aproximadamente dois mil anos desde Cristo até hoje, e nós estamos em um tempo paralelo ao tempo do ministério do Senhor Jesus Cristo. Estamos situados na Era de Pedra Angular da Igreja do Senhor Jesus Cristo, do povo do Novo Pacto a Igreja do Senhor Jesus Cristo; assim como Israel o povo do Pacto Antigo a dois mil anos atrás esteve na etapa ou na Era Messiânica da Igreja do Antigo Testamento, que é o povo Hebreu, os tirados fora do Egito, e o povo do Novo Pacto é o povo tirado fora do mundo, tirado para fora do reino das trevas.

 

E o tempo dos quarenta anos lá no deserto, o tempo dos quarenta dias de Jesus já ressuscitado lá com os Seus discípulos, para o Último Dia logo depois da ressurreição dos mortos em Cristo e da transformação dos que vivemos haverá um tempo de trinta a quarenta dias como lá nos dias de Jesus já ressuscitado, quando os discípulos do Senhor Jesus Cristo foram reunidos e colocados em espera pela Vinda do Espírito Santo.

 

Para este tempo final haverá uma grande manifestação de Cristo no meio da Sua Igreja, para cumprir essas profecias que estão nas Festas Hebraicas, as quais são sombra e tipo e figura da Obra que Deus faria no meio do Seu povo na Sua Primeira Vinda e na Sua Segunda Vinda.

 

Na Sua Primeira Vinda e na Sua Segunda Vinda Ele cumprirá essas Festas, das quais faltam somente três Festas para serem cumpridas. Assim estejamos em expectativa, porque algo grande está por ocorrer no Programa Divino. E no cumprimento da Visão da Tenda veremos como essas Festas se moverão com o cumprimento dessas profecias e nós as veremos mais claramente sendo realizadas pelo Espírito de Deus.

 

Cristo esteve no meio da Sua Igreja em Espírito Santo desde o Da de Pentecostes, pois Ele disse: “Eu estarei convosco todos os dias até o fim do mundo”. (São Mateus, capítulo 28, versículo 20). E em São Mateus no capítulo 18, versículo 20, nos disse: “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu Nome, aí eu estarei”. Ele se manifestará em toda a Sua plenitude, manifestará o Seu Nome Eterno no Último Dia, porque Ele vem no Apocalipse capítulo 19, com um Nome que ninguém entende senão Ele mesmo. E no capítulo 3 do Apocalipse, versículo 12, Ele escreverá sobre o Vencedor o Nome do nosso Deus, o Nome da Cidade do nosso Deus e o Seu Nome Novo.

 

Ou seja, haverá uma grande quantidade de bênçãos divinas para os crentes em Cristo sob o Novo Pacto, que impactará a alma, o espírito e a mente da Sua Igreja e de todos os seres humanos. Uma vez mais Deus manifestará o Seu poder em toda a Sua plenitude, e em seguida nos levará daqui da Terra para a Casa do nosso Pai Celestial, para a Ceia das Bodas do Cordeiro, onde Cristo e a Sua Igreja serão investidos: o Rei e a Rainha, para governarem sobre este planeta Terra no Reino Milenar.

 

“OS QUARENTA DIAS DE JESUS NA TERRA ANTES DO RAPTO”.

 

A Noiva do Senhor Jesus Cristo de trinta a quarenta dias antes do rapto também será investida e aí será a manifestação plena de Deus na Sua Igreja e através da Sua Igreja, para bênção de cada crente em Cristo e isso impactará ao Cristianismo: a Igreja-noiva, aos Judeus e ao mundo inteiro.

 

Para mim foi um grande privilégio estar com vocês nesta ocasião. Estarei novamente com vocês no próximo domingo, depois de amanhã, na continuação do nosso tema: “OS QUARENTA DIAS DE JESSU NA TERRA ANTES DO RAPTO”. Ou seja, logo depois de ressuscitado e antes do rapto.

 

Que Deus lhes abençoe e lhes guarde, e que todos continuem desfrutando uma noite feliz, repleta das bênçãos de Cristo o nosso Salvador.

 

Deixo com vocês aqui o Rev. José Benjamim Pérez, para continuar e em cada país deixo o Ministro correspondente para continuar.

 

Mas se houver alguma pessoa que ainda não recebeu Cristo, e Deus falou ao seu coração e a fé de Cristo nasceu na sua alma, pode passar aqui na frente para que fique incluída na oração que estaremos fazendo pelas pessoas que virão aos Pés de Cristo nestes momentos.

 

Vamos ficar em pé para a oração pelas pessoas que estão recebendo Cristo como único e suficiente Salvador em diferentes lugares.

 

Com nossos rostos inclinados:

 

Pai Nosso que estás nos Céus, eu venho a Ti no Nome do Senhor Jesus Cristo. Senhor olhe a estas que estão chegando aos Teus Pés, aos Pés de Cristo. Eu Te rogo que as recebas no Teu Reino, no Nome do Senhor Jesus Cristo.

 

E agora repitam comigo esta oração todos os que estão chegando aos Pés de Cristo:

 

Senhor Jesus Cristo eu escutei a Tua Palavra sendo pregada e a Tua fé nasceu na minha alma, creio em Ti com toda a minha alma. Dou testemunho público da Tua fé em mim, e Te recebo como meu único e suficiente Salvador.

 

Eu Te rogo que perdoes meus pecados, que me limpes de todo pecado com Teu Sangue, que me batizes com o Espírito Santo e Fogo e produzas o novo nascimento em mim. Eu quero nascer no Teu Reino, quero viver eternamente Contigo no Teu Reino.

 

Faça uma realidade na minha vida a salvação que ganhaste para mim na Cruz do Calvário. Eu Te rogo no Teu Nome Eterno e glorioso: Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

E agora eu deixo com vocês aqui o Rev. José Benjamim Pérez, e em cada nação deixo a pessoa correspondente, ao Ministro correspondente, para que indique as pessoas que nestes momentos receberam Cristo como Salvador, como fazer para se batizarem na água no Nome do Senhor Jesus Cristo.

 

Deixo ao Missionário Miguel Bermúdez Marín, para que em seguida tome a palavra lá onde se encontre e deixo ao Ministro correspondente em cada lugar.

 

Que Deus lhes abençoe e lhes guarde e até no próximo domingo, depois de amanhã, com a ajuda de Deus.

 

Orem muito por essa atividade de depois amanhã, onde com a ajuda de Deus, esperamos grandes bênçãos da parte de Deus. Recordem que nós já estamos muito próximos da materialização do que está prometido para a Igreja do Senhor Jesus Cristo, para termos a fé para sermos transformados e levados com Cristo a Ceia das Bodas do Cordeiro.

 

Orem muito pelo projeto da Grande Tenda Catedral também, que está adiantado e esperamos que as suas orações sejam feitas a favor de todos estes trabalhos, para que em breve esse projeto esteja terminado e a Grande Tenda Catedral entre em funcionamento.

 

Que Deus lhes abençoe e lhes guarde; que todos continuem desfrutando uma noite feliz, repleta das bênçãos de Cristo o nosso Salvador.

 

Deixo aqui ao Rev. José Benjamim Pérez conosco, e em cada país ao Ministro correspondente.

 

OS QUARENTA DIAS DE JESUS NA TERRA ANTES DO RAPTO”.